Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

ECLIPSE DO AMOR


Sou a única forma de encontrar-te
Em períodos tão longos
Na busca do nosso amor.
Um amor igual à Lua e o Sol
Com isso criaram o eclipse
Um momento em que
Ficam frente a frente
Olhando um no outro
Em soluços de adeus
Tão pouco
Muito intenso
Quando olharem
Para o céu
em dias de eclipse total
É a fusão do encontro
Deste grande amor
Entre o desconhecido
Na imensidão do Universo
Quando os olhos são vedados
Curiosamente colocam meios
Espiando este lindo encontro
De arrepiar os pelos
Delirando a alma
Em pleno acordo
Com o momento avistado.
Quantos amores vivem
De eclipses de amor
Relampejam
Em distantes caminhos
Trazendo a saudade
Atalhos estreitos
Difícil de trilhar
Encontram um meio
Tornam-se uma mistura homogênea
Entre dois corpos
Duas almas sentindo a fusão
Misturando paixão
Adoçando com amor
Num instante tão raro
Quanto o eclipse do amor.
Amantes fugindo
No desespero
Ânsia de um novo encontro
Nos atalhos escolhidos
Em nome da plenitude
Encontram-se na amplidão
Da forma mais precisa
No eclipse do amor
Flechando o coração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário