Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Lamparinas no Deserto

Tem certas coisas que palavras emudecem.
Destoam sem sentido o significado de amar.
Procura um jeito simples, de falar com os olhos.
Esboçar um sorriso. Cravando em teu íntimo um sentimento impreciso.
Volvendo nas proximidades do que podemos ser, diante um do outro.
Somos fragmentos de um passado trincado, saltando em degraus para longa subida, corroída pelo tempo.
No cansaço das trilhas íngremes, para chegar ao topo do teu coração.
Ascendendo lamparinas no deserto, na travessia solitária em busca de um Oasis.
És fonte de água límpida, saciando a sede e protege nas folhas das palmeiras a sombra para o refazimento da espera.
A luz do teu amor, reflete no lago e dança com os vaga-lumes que bailam em sincronia, perfazendo o caminho de volta.

Contorcendo meu corpo, retorno ao estado natural deixando o êxtase, na medida que as luzes piscando transportam-me para meu abrigo solitário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário