Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

terça-feira, 16 de maio de 2017

ENVOLTA NA SAUDADE...

Minha saudade adentra na noite fria. Se pudesses me ouvir e lembrar do tempo que passou e não finda, resides nas minhas conjecturas. Tenho um coração mendigo, que se escusa em pedir perdão. Compreendendo que tudo já perdoo. Enquanto, o violino traduz a música orquestral do nosso primeiro olhar. Neste momento, a saudade evoca os dias em que vivemos nus, entre as brisas do mar a cobrir-nos de encantos. Não é um lamento, mas um passado emaranhado que se eleva no horizonte em pensamentos. Nosso amor foi água que correu e tudo morreu. Envolta na saudade... O amor sempre é sonho, um encanto. Uma dor ou uma mágoa. Riso solto ou pranto. Um manancial de ilusões. Nosso amor foi soprado pelo vento e ao longe se perdeu. Junto levou nossas juras. O que ficou foi o desejo, desde coração que não mais o vejo. Por mais que um dia o amor neste mundo, seja o mais profundo, segue na estrada degradante, que nos lábios de outra amante beijou e se enfeitiçou. Esquecer teu amor, teu corpo encantador, teu beijo abrasador, é queimar os retalhos de momentos que latejam em mim. Minha alma não quer, mas envolta na saudade.... Ainda queima o coração das lembranças que envolveram nosso amor em encantamento.


Nenhum comentário:

Postar um comentário