Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Banhar-se de autoria do poeta Curbani (Em dueto primeira parte Curbani / segunda parte Sandra Queiróz)

Às vezes / Mergulho nas tuas profundezas
É bom tirar a roupa / Sentindo tua pele roçar a minha
E mergulhar num pedaço de papel / Escrevendo um poema
Pequeno / Intenso
Banhar-se na folha sem expressão/ Transmutando o que sinto
Sem muita linha...- e é bom que seja / Retirando-me do convencional

Eis aí uma boa receita / Aos dias habituais
Lavar a pele na nódoa dos dias / Por horas fatigantes
E deixar no papel / Nossas digitais
O sujo / Tornar-se límpido
O nada reto / Entorta com as linhas percorridas

Que quer virar poesia / e virou...

Nenhum comentário:

Postar um comentário