Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

sábado, 27 de fevereiro de 2016

ACORDANDO OS SENTIMENTOS

Desce da colina e vem debruçar no meu solo fértil
Rasga o céu na fúria de uma tempestade
Eletrizando meu corpo com as descarregas do teu relâmpago
Estremecendo e debulhando minhas folhas sem vida
São os condões que nos unem
Desatando os nós e penetrando em nossas raízes
Contorna meu corpo, uma flor-primaveril
Esperança de uma noite liberta e sutil
Abriga nas folhas de teu corpo, o meu coração
Floresceremos na bonança de uma Alvorada
Bordando o mar enfeitado num arco-íris
Navegaremos entre os espaços
Os vão de nossos poros
 Entrelaçados nos matizes inundados de luz
Entregue na vastidão de um amor reprimido
 Enraizados, lado a lado
Formando uma vegetação divina...

sábado, 20 de fevereiro de 2016

Fly me to the moon


Trilho entre os trilhos

Equilibro meus pés nos trilhos 
Descalça entre o vagar e os vagões 
Sou trem sem apitar 
Passando nas estações sem parar 
Das distâncias que distancio 
Caminho entre os trilhos 
Trilho, nas trilhas do amanhã... 
Na curva de um túnel 
No clarão que tem acolá 
Vestido esvoaça na velocidade 
Na brincadeira de ser um maquinista 
Presa aos trilhos velozmente a cantar 
Percorrendo os caminhos desconhecidos 
Nos trilhos trincados dos encantos de amar 
Solto-me com a brisa leve 
Meus cabelos iniciam um bailar 
Entre os trilhos que trilho 
Lavando a alma, com meu chorar







sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

ASCENDÊNCIA

É no bailar de sinfonias
Tocadas, pelo som de um piano (Nocturno)
Que vou ensaiando os primeiros passos
Bailarina da vida e do Espaço...
Flutuo entre os poros e as linhas que demarcam meu corpo nu
Sentindo o nascimento de ser mulher-menina
Abrindo os braços deixando a poeira baixar
Voltando a ser criança, a brincar com as lembranças
Insistentes pensamentos, que brincam com ascendência
Do que fui e do sou...
Envolta de sossego e liberdade
Inicio as gesticulações dos movimentos, um festival de cores
Na foto em preto e branco
Negativo de momentos esquecidos
Qual um cisne negro a debater-se, no instante preciso...
Transformando o meu espetáculo, sem aplausos e sorrisos
Aflorados e exposto, ao relendo e ao vento
Levando de mim, as sobras dos tormentos
Invasores de pensamentos
Que na minha alma, não fazem morada...