Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

terça-feira, 10 de novembro de 2015

O SABOR DE UMA SAUDADE


Quem atreveria dizer
Que sabor tem a saudade...

Será salgada
Amarga
Doce
Saborosa
Somente sei
Que o aroma
Exala
  Fragrâncias
Suaves
Fortes
Marcantes
Fugaz

Esta saudade...
Adormece o peito
Deixando sabor
De quero mais



PÁSSARO ALADO

         Arrebatei um sobrevoo
Na imensidão entre as colinas
Travessias de mares...
Debrucei na soleira da tua janela
Arquei minhas asas
Num aceno e chamamento
Teus olhos fitaram os meus...
Alcei um voo, e na leveza.
Arranquei teu sofrimento de olhos marejados
Percorremos um arranha-céu de pedras
Pairamos entre as nuvens
Coração pulsava na vibração de um romance
Calado, o pássaro alado...
Debruçou na soleira da janela
Devolveu sua amada
Retornando na angustia de noites frias
Presumindo distantes alegrias
De novos voos que faria
Na beleza de um semblante
Em seus olhos irradia...








terça-feira, 3 de novembro de 2015

Aquarela da Vida

Há passagens na vida, despertar de sonhos imperfeitos.
Pinturas feitas nas paredes internas do corpo
Um artista no anonimato utilizando suas cores
Retratou-me de verde
Neste caminho percorreu na vastidão do meu ser
Libertando-me
Alterando a minha natureza
Tornei-me árvore exuberante
Recolherei os que se abrigarem na sua sombra
Colhendo os frutos e vendo as folhas caírem em pleno Outono
Renascença
Surge a Primavera e nela estarão recarregando suas energias
Piqueniques a sua volta, liberdade e risos soltos.
Sonho perfeitos...
Da imagem nasce um artesão
Da existência um caminho
Do caminho um renascimento...

Da vida entonação...

GOLES DE EUFORIA



Na tua vida o que mais me encanta
Que sou teu porto seguro
Surgem as tempestades...
Revoltos entre os mares e ventanias
Procuras meu corpo num abrigo sem abandono
Naufrago de noites perdidas, vens e acarinha.
Promete nosso amor ao delírio da Lua
Vigia e brilha refletindo nosso amor
Agasalhas-me como quem pega uma criança
Embalando seus sonhos em melodias
Envoltos nos lençóis de um barco a deriva
Tempo, flutuando no infinito...
Perdição de todos os pudores e amores
Somos habitantes de nós mesmos, numa roupagem de pele nua.
Misturamos os sabores em goles de euforia
Bocas que se encontram, surfando nas línguas soltas.
Saciando o velejador na expedição de aventuras
Trocando os lençóis para um novo dia...