Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

VIRTUDES

 
 

Chuva cai nos telhados internos que ladrilham meu coração
Inundam submergindo as estantes com gavetas dependuradas nas paredes sobrecarregadas.
Percorrem por todo corpo, enchente de pensamentos interligados entre as águas e o transbordamento de sentimentos.
Comportas rompem-se alastrando todos os cubículos chegando até a alma.
Diluem-se em pequenos nacos para cada ambiente alagado.
Inerte mergulhado nas entranhas de meu corpo
Percebo o rio que corre entre a espinha dorsal qual tinta escorrendo entre as paredes e os poros.
Vibro nas cores e diluo cada cor, pintando e rabiscando os desenhos pendentes na mente.
Sou um acrílico fosco ou cristal em pleno brilho.
Sou caminho inundado ou montanha erguida para prece.
Sou errante ou caminhante...
Sou uma ave a voar baixo e rasante ou uma águia observando o horizonte
Vem à chuva, inundação, coração, alma...
Sem lamaçal, com luz, amor e caridade.
Centelha de vida que nos corredores da vida, não invadem minhas verdades.
Na convicção de ser uma comporta aberta desaguando minhas virtudes.

 

 

 

 

 

 


Nenhum comentário:

Postar um comentário