Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

RECEIOS



Senti o teu silêncio. São os caminhos que não se cruzam
Nem de mãos, contramão...
Nem nos olhos, sujeição...
Desapareceram as palavras, desconexão...
Pequenos intervalos e o sentimento estão no presente-ausente
Espaços vão tomando conta, instalando-se no decorrer deste cotidiano.
Ambicionar não me traz felicidade, inquieta queria buscar as conversas que não mais nos resta.
Percepção de algo conquistado, saboreado escorrendo pelos confins...
Premissa de um afastamento normal do encontro planejado e configurado
Pretensão não dá lugar ao querer... Esvai em delírios...
Sentada observo a Lua revolvendo os pensamentos
Refletindo um prateado em meus segredos
No peito adormecido e perdido...
Pressenti meus receios e arremedos

Nenhum comentário:

Postar um comentário