Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

terça-feira, 27 de maio de 2014

Caleidoscópio

Girei formando retratos coloridos
Escondida no caleidoscópio
Vislumbrava o meu rosto e o seu
O desnude de minha alma com a tua
As dobras de coros a sós, ecoando em ti.
Era um espetáculo a parte
Ao girar... Mil formas de amar surgiam
Mutações diversas
Complexidade e cumplicidade em cada ato
Sutis gestos
Inebriavam os nossos desejos
Voamos ao longe... Despertamos na alvorada
Flutuando entre os arcos-da-chuva
São vertigens de um amor perdido
Escondido neste caleidoscópio...



quinta-feira, 15 de maio de 2014

Devaneios D’alma

Num espaço, num tempo...
Há momentos que surge a Saudade...
Abre uma porta e uma janela
Debruço na mesma descortinando o que vejo
Cabelos brancos surgem ao vento
Mais além...
Na brisa suave e um céu límpido a voz carinhosa
Escuto ao longe...
Um chamar com alegria, sai em direção na correria.
Um abraço apertado é dado
Os olhos lagrimejam felizes
Os destinos vão se fechando qual ato teatral em um palco
Os figurantes são os mesmos, a roupagem translucida.
Neste momento num lapso temporal
Viajo com eles num campo florido
Onde me despeço e retorno
Á porta que abriu e a janela
Que me debruço...



quarta-feira, 7 de maio de 2014

Refletindo esperanças...

Meus pensamentos...
São flocos brancos a vagar
Flutuam juntos
Num alvorecer luminoso
Adormecendo o vento
Rompem-se nas esferas do amanhã...
Refletindo esperanças...

Os breus dos arabescos tornam-se beleza
Os planetas eclodem
Surgindo...
Uma brisa de muitas atmosferas
Chegando a uma Era sublime

Meus adágios
Perseguem o que de melhor a de vir
Retirando as dores
Descortinando horizontes
Mãos entrelaçando
Solidariedade surgindo
O Ego e Egoísmo sumindo
  
Estes são os pensamentos meus
Talvez os seus, quem sabe os teus.