Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

ACONCHEGO VAZIO...

Mudas, calam a noite adormecendo entre os arbustos aquietados em seu solo. Na cegueira noturna dos que vagam sem destinos pelos labirintos ecoando gritos, pelos becos da vida. Seguem com suas vestes despedaçadas, em sintonia com aquém da realidade. Filhos da vida açoitados por histórias inacabadas... Infâncias que se esvaem nas ruelas de encostas sem costas que abrigam. Espalhados por todas as cidades sem asilo. Mudas, que mudam a sintonia dos que observam e nada fazem porque o seu mundo está em outra coisa. Na viagem lunática de seus vícios vão flutuando nos acolhimentos que escolhem por toda cidade. Convivem e perambulam em busca da saciedade, das loucuras que a mente absorveu. Pedidos com sorrisos e boa conversa nas sinaleiras, um pão com café quente.... Uma palavra sem afronto. Porque seus dias ele sabe que não tem retorno para a realidade de um certo passado.... Assim, é o contraste do que vejo diariamente e quando estão dispostos a conversar no ponto de ônibus, imagino a vida pintada em uma grande tela. Com muitos rabiscos e com alguns traços que identifico. Temos família, filhos, netos e a cena que me vem à cabeça são estas criaturas que sobrevivem de tantos sofrimentos, que machucam seu íntimo e nós muitas vezes não conseguimos entender a complexidade de cada história relatada e sofrida. Apenas, queremos que as mudas, possam morar em uma floresta encantada feito sonhos de fada.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário