Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

terça-feira, 25 de junho de 2013

O TEMPO PARA O TEMPO

O tempo é um ioiô de lembranças 
Rodopia feito pião de saudades 
Vem e volta o apelo de criança 
Sem deixar cair a esperança 
Das coisas boas que aprendi 
O tempo esconde-se no porão da vida 
Acordando sentimentos adormecidos 
Vagueia por lugares idos e vindos 
Sem fronteiras e horizontes 
O tempo para o tempo 
Quando a nitidez da visão é distante 
O tempo é relógio sem ponteiro 
Gira e da volta 
Pelo mundo inteiro 
Se o tempo se instala 
Na mente inquieta 
Saltita, pulando galhos 
Nas florestas desmatadas 
O tempo não perde tempo 
Quando soltamos boas gargalhadas

2 comentários:

  1. Gostei do teu texto Sandra, bonito, poético e muito bem escrito! O tempo tem também seu lado ingrato, nos tira muitas coisas: sonhos, projetos, pessoas queridas. E acaba, um dia, nos levando a própria vida. Abraços Sandra!
    HMARSAN

    ResponderExcluir
  2. Agradeço pelo comentário. O tempo sempre será o senhor de todos os relógios... Cada qual faz de cada segundo um bom ou mal aproveitamento. Que sejam para edificar o Eu interior que desperta a cada momento.Beijos de Luz!

    ResponderExcluir