Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

sábado, 10 de novembro de 2012

NAUFRÁGOS SOLITÁRIOS

Nos instantes, tão distantes...
Navegavam em pleno gozo
Descortinando a natureza
As belezas sem par
Obra prima do Pai Maior
Flutuavam pelo mar
Sobre ondas e vento
Surge uma grande tempestade
Ondas gigantes, navio a deriva.
No meio da água e desolado
Na imensidão
Gritos de socorro
Ecoava nas águas profundas
Num abismo sem volta
Surgem os náufragos solitários
Presos, sufocados e engolidos.
Hoje alguns ainda perambulam
Sem saber o por que
Para onde está indo
E para onde devem ir
Só sei que as orações que lançamos
Sempre há mensageiro de luz
Que leva aos cantos mais obscuros
Para socorrer aos poucos
Os muitos náufragos solitários...
Encaminhando para um despertar...



Nenhum comentário:

Postar um comentário