Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

O silêncio das palavras Em dueto Atanazio Lameira e Sandra Helena Queiróz Silva


Fazer um poema / É meu lema
É encontrar-se em silêncio / Tanto de noite quanto de dia
É descer o rio / Beirando a margem
É acender o pavio / Labaredas surgindo

Fazer um poema / Deliciar-me com tudo a volta
É comer pouco / Uma ceia de palavras
É sentir-se satisfeito / Com o soneto
É sonhar no leito / Da obra escrita

Fazer um poema / Aflora os sentimentos
É não se aprofundar nas palavras / Seguir o rabiscar de linhas
É querer arroz e feijão / Temperado e com sabor
É deitar-se no chão / Liberto e sonhador

Fazer um poema / Emudeço
É brincar de feiticeiro / Aventureiro
É iluminar o quarto escuro / Deste mundo dúbio
É pular o muro / Brincar de arqueiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário