Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

CAMINHOS ENERGIZANTES

A luz inunda o espaço
Transborda no lago de águas límpidas
Preparo de ervas, para os chás servidos.
Perfilados recepcionam os recém-chegados
Em limpeza profunda o branco predomina a visão
 Nas águas claras e puras
Banham-se em harmonia e paz

São caminhos de energia
Revitalizando corpos fadigados
Engolidos por um cotidiano sem vigília
É na coragem e determinação
Fé e na resignação
Nas tendas acolhedoras do Universo
Que nos pedem além do consolo dado
Unir pensamentos positivos
Formando um coro de oração
Harmonizando o ambiente
Trazendo de bagagem o amor no coração

alborada qapaq ñan


sábado, 10 de novembro de 2012

Súplica a Jesus - Música Espírita


NAUFRÁGOS SOLITÁRIOS

Nos instantes, tão distantes...
Navegavam em pleno gozo
Descortinando a natureza
As belezas sem par
Obra prima do Pai Maior
Flutuavam pelo mar
Sobre ondas e vento
Surge uma grande tempestade
Ondas gigantes, navio a deriva.
No meio da água e desolado
Na imensidão
Gritos de socorro
Ecoava nas águas profundas
Num abismo sem volta
Surgem os náufragos solitários
Presos, sufocados e engolidos.
Hoje alguns ainda perambulam
Sem saber o por que
Para onde está indo
E para onde devem ir
Só sei que as orações que lançamos
Sempre há mensageiro de luz
Que leva aos cantos mais obscuros
Para socorrer aos poucos
Os muitos náufragos solitários...
Encaminhando para um despertar...



quinta-feira, 25 de outubro de 2012

SINGELOS GESTOS

Em passos largos
Andavam os andarilhos
Por caminhos escuros
Dispersos e sem tempo
Desnudos de sentimentos
Aflitos pela solidão
Pegam outros rumos
 Na quebrada da escuridão
Surgem singelos gestos
Gestos de carinho
Transbordando o Amor Fraternal
Conduzindo a um abrigo seco
Luz tênue oração que acalma
Lágrimas brotam aos prantos
Amparados por corações em fé
Transportam ao socorro divinal
Mostrando que através dos singelos gestos
Os gestos aflitivos tornam-se amenos
Confiantes de uma visão clara
Sem borrão...


quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Estradas


Simplicidade


É na simplicidade, que identifico os gestos teus.
São pequenos pergaminhos descritos, que leio.
Permeando os pensamentos, colorindo com cores vivas.
Na simplicidade de cada ação, surge um efeito mágico.
Que fascina e contagia o espírito
Contempla nas Constelações sem fim... Vem do Infinito... 
Esta simplicidade, motivo de melhoramento do indivíduo.
Que valoriza a essência de cada Ser
Todos os caminhos levam-nos através da simplicidade
Na praia, no campo, nas montanhas ou na cidade.
Embelezando com fitas invisíveis, prendendo em cada ponta.
Um semblante de um irmão confiante
O verdadeiro caminhante de obras que são sustentadas pelas mãos
Da Benevolência, Caridade e Humildade.
Na senda de irmãos unidos, em prol da grande Irmandade.

terça-feira, 4 de setembro de 2012

SE QUISERES ME ENCONTRAR

 
Se quiseres me encontrar
Sou a luz que procuras
Liberdade nas alturas
Alçarei em voos rasantes
Flutuaremos em breve momento
Serei teu acalento
Teu anjo a te proteger
Se quiseres me encontrar
Bate na porta da vida
Ore com fervor
Sou a tua esperança
Alegria e bonança
Despertando de lindos sonhos
Passearemos de mãos dadas
Meditando nas estrelas
Constelações de amores
Se quiseres me encontrar
Não moro longe...
Sou reflexo de teus pensamentos
Otimismo em tuas frases
Oração de agradecimento
Sou todos os teus momentos
Por que... Se quiseres me encontrar
Sou o oposto do teu lado do avesso
Se for direito e se queres me encontrar
Vibre na mais profunda luz
Serei lâmpada acesa
Iluminando o corredor escuro
Das tuas entranhas
Serei estrada, não abismo.
Sou teu guia, mentor de mensagens.
Sabes, onde me encontrar...
Nas múltiplas passagens...
 
 
 


Se eu quiser falar com Deus


quarta-feira, 22 de agosto de 2012

A PAZ


OS REFOLHOS D'ALMA

 
Sobressaltado de alegrias 
Cai nas armadilhas, emboscada de sentimentos.
Vivenciando vidas inacabadas
Senti nos refolhos d'alma
Ecoei um grito de socorro ao Divino
Luzes se armaram na minha direção
Túnicas brancas bailavam e flutuavam
Sobre meu corpo debilitado
Amargurado com chagas de paixão
Que mundo estupido e deprimente experimentei
Que vida sem alma, vivi sem dar de mim.
O que me foi entregue como tarefa
Amparado por imensa fraternidade
Fui conduzindo para um aprimoramento
Recebi tratamento, conduzindo a esfera Maior.
Não sou mais dor, melancolia, dessabor.
Estou limpo das impurezas, sou esperança.
De voltar a viver num mundo melhor
Envolto pela bondade, humildade.
Voltarei em prol do bem, da caridade.
Minha tarefa é construir um esboço de vida
Muito além da que vivi realmente mais digna.
 


terça-feira, 21 de agosto de 2012

LUCIDEZ


A Lua refletindo seu brilho nas ondas do mar
Bordado prateado, alegoria natural.
Lucidez de obra divina
Enredo de embalos de ninar
Entre as estrelas a brincar
Vislumbro com este magnifico reluzir
Sou a lucidez do olhar
Fitando o brilho enfeitiçando a noite
Meus cabelos voam com a brisa
O frescor da aragem permite reviver momentos
Lembrar-se das alegrias, vividas e sonhadas.
São castelos que se constroem com o tempo...
 Petrifica em areias na beira mar
Lucidez de construção sem alicerce
A espera de uma onda a quebrar
Derrubando a cegueira e lucidez
Num abismo de enganos...



sábado, 4 de agosto de 2012

DO QUE VEM O POETAR SENÃO...

Parando em frente do espelho, não vejo o que fui apenas o que lapidei, para tantas jornadas que espero que me aguarde... Algo que acabarei vou concretizar...
Hoje bem sei que diante do meu antigo e amigo fiel lápis, vou traçar um esboço da minha, da nossa escrita.
Juntaremos pensamentos, canalizaremos os fluídos de laços que ligam e interligam nossas mãos e nosso trilhar sobre pontes sem cairmos no vazio.
Sabemos o significado da expressão e da vontade de expressar em papel, no silêncio de um canto qualquer, no momento presente nos deixa desvendar neste papel branco e alvo o que ficará tingido, com formas e símbolos traduzindo o espelho do invisível através de pequenos feixes transpassando ao pequeno e silencioso lugar que me encontro.
Formarão linhas e desta leitura tirarei o proveito de sentir o bem estar, do mesclar de vidas.
Do sussurro em meus ouvidos, da nítida visão do contexto exposto do que devo ou não conduzir, em versos, poemas ou poesias.
Virei para tocar sentimentos tal flauta acompanhada de uma harpa ao som de mais pura beleza não vista, apreciada aos que sabem ler pensamentos e viver em harmonia.
 Na simplicidade de sentir a vibração do Universo, girar sobre a mente dos que tentam poetar e iludir o sentimento mais terno e promissor o próprio Amor.
Não falarei de Amor, sentirei o tocar, o falar, o agir. Desta forma, conduz o ser mais propenso ao equilíbrio encontrando no outro o momento de plenitude e êxtase da própria vontade de ser amado e dar amor.
Mesmo que os que te ferem atinjam o teu ponto fraco, desta forma sinta o valor de estar aberto ao mundo interior e deixar a tua luz brilhar ao ponto de ofuscar os que te cegam. Os que tentam jogar-te do maior abismo, onde você muitas vezes participa para tal fato, ajudando-o a ser empurrado sem saber o porquê.
Olhai para cima e vereis cair lágrimas de luz aos teus pés, pedindo-te:
Rogai pela tua beleza interior, se hoje não sabes por onde andas...
Estais correndo por atalhos deixando de seguir o caminho da tua verdade e dos teus pés firmes iguais um caminhante, sem destino aguardando as veredas da vida.
Elevai as tuas mãos e agradece cada momento, é deste momento que sentirás as dádivas e bênçãos diante de tantos que sofrem e agradecem pelo crescimento interior e são capazes de sorrir.
Onde está o teu sorriso, abraço, aperto de mão.
Aplica esta receita as tuas feridas e as chagas dos que padecem, sem um dia ver o socorro de tuas mãos. Somente ajude e siga adiante.


segunda-feira, 23 de julho de 2012

Moonlight

UM NÔMADE CÓSMICO


Descansei nas linhas do tempo
Aprendiz de lições não ensinadas
Muito menos decoradas...
Volitei nas visões contemplativas
Sentindo os sentidos largarem-se
Feito bolas de gás ao vento
Flutuando sem destino
Um nômade cósmico
Circulando nas vastas linhas do horizonte
Além-mar, luz, caminhos, sons e harpas...
A música inebriava meus ouvidos
Bela canção ecoava nos cantos do mundo
Cantadas e cantaroladas por crianças descalças
Em verdes campos, cobertos de girassóis.
A alegria contagiava os que admiravam
O espetáculo de vozes e rostos celestiais
Um mundo sem matéria
Somente na condição espiritual
Refletem na memória os momentos
As canções, as letras e o significado.
Tudo parece tão simples
Na plenitude de cada direção
Desprendo-me feito luz
Nos caminhos da Imensidão...

quarta-feira, 20 de junho de 2012

NÃO QUERO MAIS DECIFRAR ENIGMAS



VOU RASGAR ESTE PAPEL AMARELADO
PERGAMINHOS GUARDADOS NA MÉMORIA
NÃO QUERO MAIS DECIFRAR ENIGMAS
COISAS QUE REELEMBRO E BUSCO
NUM SENTIMENTO DE DESCORBERTAS
QUERO UM PAPEL EM BRANCO
ESCREVER MINHA HISTÓRIA NO PRESENTE
SOLTAR AS GARGALHADAS QUE LATEJAM EM ALEGRIAS
BUSCAR O CERTO MESMO QUE O CAMINHO SEJA TORTO
É ERRANDO QUE SE APRENDE
É APRENDENDO QUE ACERTAMOS
VIAJAR PELA IMENSIDÃO QUAL ERMITÃO
MEDITAR SOBRE OS GRANDES SIGNIFICADOS DA VIDA
CONCENTRANDO O MEU MUNDO NO AGORA
SEM PENSAR NO AMANHÃ...
SOU UMA ETERNA BUSCA
MEDIANTE AO QUE ME DERAM DE GRAÇA
MEUS SENTIDOS AGUÇAM A TERCEIRA VISÃO
BAILAM E DESLIZAM FEITO BAILARINO
NA PONTA DOS PÉS
FORMANDO FRASES, POEMAS E VERSOS.
SOU UM ABSTRATO NA FORMA QUE NÃO DEFINO
SOU A PLENITUDE DE TUDO QUE ESCREVO
SOU LEITURA
POIS TODO POETA É UM POUCO DE TUDO
OU POUCO DO NADA...





terça-feira, 19 de junho de 2012

NO ARRAIÁ DA VIDA


QUANTAS QUADRILHAS FORMADAS
DANÇAM E PULAM A FOGUEIRA
COMEMORAM COM FOGOS
A ALEGRIA DE VESTIR-SE DE CAIPIRA
VOLTAM PRA CIDADE
NO TUMULTO DE CADA DIA
OLHANDO NOVAMENTE A QUADRILHA
QUE DESFILAM SEM PULAR A FOGUEIRA
ESTE É O ARRAIÁ DA VIDA
NOS PALANQUES FORMAM FILAS
PARA VER QUEM DANÇA PRIMEIRO
TEM CASAMENTO E TUDO
ALIANÇAS TROCADAS E MAL FALADAS
SEPARAÇÃO NA CERTA DEPOIS DE ALGUNS ANOS
DANÇAM E BAILAM NO ARRAIÁ DA VIDA
FAZENDO DA FESTA DE SÃO JOÃO
UM BAILAR DE BOBALHÃO...
E VIVA SÃO JOÃO!


terça-feira, 5 de junho de 2012

CANTIGA DE PAZ - PSICOGRAFAGA POR:BRUNILDE M. DO ESPÍRITO SANTO pelo espírito de DOLORES DURAN.



                                                          
                                                              Paz e Amor pro Mundo!

O BARQUEIRO



Desponta ao longe
Um barqueiro
A sorrir
Carregado de peixe
Está por vir.

Na beira da praia
De vestido florido
Surge a sombra
De uma mulher
A espera do
Escolhido.

Os sorrisos encontram-se
Sobre as ondas
A brisa com seu frescor
Refresca os corpos
Ardendo de calor.

O barqueiro
Atraca seu barco
Corre cansando para
O braço de quem lhe espera
Trocando beijos
E promessas de amor.

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Maria Bethânia- Eu Preciso de Você


SEDAS, PERFUMES, CAMISOLA, SUOR E TODOS OS SENTIDOS



LUZ DO ABAJUR NUM ESPAÇO PERFUMADO
NA PAREDE REFLETE A SILHUETA
NO ESPELHO A CAMISOLA DE SEDA PRETA,
 PERFUME FRANCÊS, OLHARES PENETRANTES.
UM GOLE DE LEVE NOS SUORES QUE ESCORRIAM DO SEU CORPO
TODOS OS SENTIDOS ALERTAS E FEBRIS
NA ANSIA DE CADA TOQUE, NO ENVOLTO DE SEDAS, PERFUMES,
CAMISOLA, SUOR E TODOS OS SENTIDOS.
DA VISÃO EMERGE UM HOMEM DA IMENSIDÃO
O OLFATO PERCEBE O FRESCOR DA BRISA LEVE
QUE ENTRA PELAS JANELAS
O PALADAR DESGUSTA CADA SEIVA DO CORPO SUADO
A AUDIÇÃO ESCUTA MURMURIOS VINDOS DE DENTRO
QUAL O MAR QUANDO DEBRUÇA SOBRE AS ONDAS
O TATO PERCORRIA EM VELOZES MOVIMENTOS
DEIXANDO AS SEDAS ESPALHADAS, A CAMISOLA NUM CANTO,
O PERFUME EXALANDO PELOS CORREDORES E TODOS OS SENTIDOS
BAILANDO EM FESTA NO COMPASSO DE UMA DANÇA
DE CORPOS COLADOS, ENCAIXADOS.
NO ÊXTASE DE TODAS AS HORAS E MINUTOS
SURGINDO UM SOSSEGO, ACALENTO, DOÇURA.
OS ENCANTOS DAQUELE HOMEM SOMEM
PORQUE TODOS OS MEUS SENTIDOS ADORMECERAM
PARA SONHAR ALÉM DO QUE ESCREVO

terça-feira, 29 de maio de 2012

QUERO ABRAÇAR ESTE SENTIMENTO


QUERO ABRAÇAR ESTE SENTIMENTO
QUE CORRÓI O MEU PEITO
ACALENTA MEUS SONHOS
NOS EMBALOS DE BALADAS E BLUES
ACONCHEGAR EM MEU COLO
TODO ESTE SENTIMENTO CONTIDO
REPRIMIDO NA FORMA QUE DEVERIA SER
QUERO ABRAÇAR ESTE SENTIMENTO
PARA NÃO LARGAR, NEM DAR BOBEIRA
LANÇAR E ATIÇAR OS DESEJOS
AS LOUCURAS QUE PASSAM NA CABEÇA
SER A PESSOA ERRADA OU CERTA
POUCO IMPORTA
DEIXE NESTE MOMENTO
EU ABRAÇAR ESTE SENTIMENTO
QUE INSISTE EM CLAMAR
CLAMAR POR TI EM MIM
NA IMENSIDÃO DESDE UNIVERSO
QUE O TEMPO ACELEROU
PAROU JUNTOU EM FORMAS
DATAS DIFERENTES DESTE QUERER.
E QUANDO EU ABRAÇAR ESTE SENTIMENTO
A VIDA SERÁ UMA EM DOIS
OU, QUEM SABE...
DUAS EM UM...


sexta-feira, 27 de abril de 2012

SÁBIO POETA


Suas escritas repassam singelas formas
Admirável é o poeta
O abstrato transforma em vida.
Rompe o sol, descortinando paisagens.
Seus olhos refletem luz
Sabedoria de vidas
Explicações para dores...
Saudades...
Lembranças diversas...
Surge o passado abraçado ao presente
Prevê um futuro incerto
Com palavras adocicadas
Olhar audacioso e pretensioso
Que só ele sabe fazer
Sábio poeta
De luares sem luar
De amor sem pessoa
De tristeza sem coração
De alegria nunca vista
Mas, de sabedoria escolhida.
Acolhida por quem o lê
Decifrada e entendida
Que na mente de um poeta
Brota e nasce
Mil formas de ser...



sábado, 21 de abril de 2012

CONTO / VOEI ALÉM DE MIM



Criei asas de imaginação, transportei-me para o paraíso.
Ouvi tanto falar dele, resolvi visitá-lo.
Levei comigo uma águia, para guiar-me melhor ao topo mais alto do imaginário.
Com sua astucia deixe-me levar, coloquei meus pés em nuvens claras e densas.
 Pulava uma a uma, chegando num bosque florido e pássaros cantando.
Avistei ao longe, uma bela cachoeira e um arco-íris cobrindo com seus anéis multicoloridos.
Seus reflexos formavam um prisma, um portal de luz transportando-nos ao imaginário refletido.
Seus habitantes, com roupas claras e olhos brilhantes, recepcionavam os viajantes.
A águia e eu conversávamos sobre o céu, o infinito, amplidão, magnitude, espiritualidade.
Este infinito mágico que abriga suas espécies criadoras.
Com propósito de direcionar nosso imaginário além de nós.
Desta forma senti...
O que é voar além de mim.
Direcionei meus sentidos, agunçando-os.
Voar parece estar solto dento de um ventre, presa através das ligações de carne que nos prende na Terra.
A águia por sua vez alçava um voo cada vez mais complexo, direcionando-me ao desconhecido.
Pedi para descansar e chegar bem mais perto daqueles seres que iluminavam o lugar.
Este lugar não tinha um nome apropriado, somente na placa que dizia:
Sejam bem vindos ao verdadeiro movimento da escrita espacial.
Um deles veio nos recepcionar e comentou que ficava feliz aos impulsos que os humanos tinham em voar além da imaginação.
Fitou nos meus olhos, e pediu para a águia pousar em meu ombro porque começaria o grande trajeto.
Com os olhos brilhantes perguntei : Por gentileza, qual é o seu nome?
Meu nome é Espaço Sideral.
Pare de fazer tantas perguntas,  vamos caminhar e apreciar o maravilhoso mundo do desconhecido que tanto indagas.
Ao longe podia-se ver casas com telhados de cristal, e o mais interessante em formato de trinângulo.
Os estudos que naquele local faziam eram direcionados as escritas dos grandes escritores que estavam habitando a Terra.
Dali enviavam sinais  dos mais variados, para  serem codificados e compreendidos por milhares de pessoas
e línguas estrangeiras diversas.
A águia falou bem baixinho no meu ouvido, acho que sua inspiração vem deste lugar. Parece muito com suas escritas.
Não fale bobagem, somente somos visitantes audaciosos com sede de aprender e vivenciar este momento.
Espaço Sideral riu...
E comentou que a maioria que ali passavam não acreditavam que aquelas casas eram um lugar de aconchego da mente humana.
Pensei quem me dera poder ficar ali horas a fio, entrei na primeira casa.
 Meu olhar queria devorar o que ali continha. Um espaço com mesas individuais, as canetas eram a lazer que fixavam em uma pedra  de cor branca azulada, cortada do tamanho de uma folha A4.
Desta vez voei além de mim novamente, lembrei de uma passagem que estava ali escrevendo, e sendo orientada por luzes e vozes.
Estas vozes cantavam aos meus ouvidos emitindo sonetos, prosas ,versos e contos que transcrevia em folhas soltas.
Sempre que escrevia e escrevo sinto dormência no meu corpo, minhas mãos flutuam sobre o papel,
vou seguindo trilhas e formando arabescos de ilusões e acontecimentos únicos e passageiros que minha mente retrata.
Pensei que não deveria ser impossível imaginar tanto, sentir algo que era familiar.
 As casas eram distantes uma das outras. Achei até interessante, mas não continha em perguntar.
Logo veio a resposta, são casas com vibrações diferentes. Cada qual emite o sinal dos pensamentos que cria algum texto.
A casa por aqui não são pintadas, não tem janelas, nem cômodos. Somente a mesa e a cadeira para cada qual quando vir ,
usar a caneta e a pedra, deixando gravado nos arquivos d'alma.
Mas, qual o sentido tem tudo isso, existe lógica para que esta construção fosse feita desta forma?
Sim, há. Você quando escreve procura direcionar um tema, não escreve sempre a mesma coisa, não é mesmo.
Claro que não, pois minha sintonia difere conforme meu humor, os dias e até as inspirações diárias que recebo.
Então, a explicação é simples, as casas são os abrigos adequados para cada sintonia que surge lá da Terra.
Esqueci de falar da casa Maior.Já iremos até lá. Ficou curiosa, sei que sua mente é cheia de imaginação quando a conversa é escrever,blogar estas coisas que os seres humanos estão fazendo nesta era cibernética, virou um meio de mostrar o que por aqui alguns fazem sem sentir e saber...
A conversa corria solta, os olhares eram espetáculos que apareciava tudo; enquanto caminhavámos em direção de lugares maravilhosos.
No alto de uma montanha, avistei a casa Maior.
Lá repousam os que adentram neste paraíso, para concentração. Quando chegou aqui com sua águia, avistou muitos seres iluminados. Desta forma que emanamos as vibrações através do telhado de cristal.
E na casa Maior o compromisso é nosso, ajudamos a escrever à quatro mãos. Somos nós que enviamos mensagens quando em alto grau de concentração, se posicionam para ter a inspiração adequada.
Espaço Sideral aqui existe tempo? Não existe.
O tempo é necessário para a concentração diária, mas o tempo não é cronometrado.
Nas casa não tem relógio, muitos que acham que entram nem chegaram no portal.
Outros sim, encontram-se em plena escrita, adormecem e deixam ser conduzidos por nós.
Nossa estou com letargia, nem conseguirei voar de volta.
 Calma, é hora de repousar suas energias ,hoje você voo muito além da sua imaginação.