Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Rias de mim - Em dueto Atanazio Lemeira e Sandra Queiróz

Rias assustada / Sem saber o que fazer
Sem mostrar os dentes / Caminhavas depressa
Passavas sem olhar / Cega estavas
... Passavas quais dementes / Pensamentos dissolvidos nos voos
Tu festejavas/ Não sei o que
Tu eras tudo/ Somente em mim
Tu foste indo/ Te perdeu
Tu caíste no mundo / Distancias longíquas
Quantas nuvens nebulosas / Passaram aqui
Tantos olhos tristonhos / Chorei por ti
Por que sumiste assim?/ Sem se despedir
Deixastes os sonhos / Que moram em mim
Sofro em noites intermináveis / A procura de ti
Suspiro só em quatro paredes / Secreto segredo, momentos meus
Onde estará a mais linda flor? Num jardim, florindo
Espero em campos verdes / Verdejantes e belos
Tudo aqui é triste sem você / Perdi meus sonhos
Arrume uma desculpa qualquer / Não rias de mim
Corra para onde estão os meus braços / Te espero sem fim
Desfolhe o bem-me-quer / Que ainda há em mim
 


Nenhum comentário:

Postar um comentário