Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

sábado, 12 de novembro de 2011

Construção do poema ( Em dueto Atanazio Lameira e Sandra Helena Queiróz Silva)



Há um poema a ser construído / Um esboço de vida


Na margem do rio / Desliza sobre a água


Na criança que nasce / No poema que ressurge


Num assovio / Pela brisa da relva





Há um poema a ser construído / Sua base está firmando solo


Na beira do cais / Pôr do sol surgindo


No vento que sopra / As palavras ao relento


Nos canaviais / Debulharam amarguras





Há um poema a ser construído / No cais dos sonâmbulos


Na lágrima que caiu / Com a chuva fina


No amor que findou / brindando dois corpos


No coração que partiu / Deixando saudades.



Nenhum comentário:

Postar um comentário