Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

ALVORADA – Em dueto Sandra Queiróz e Afonso Prates da Silva



O sol rompendo a/ madrugada
Resistências das nuvens
/ colorindo a aurora
Tinge o céu de vermelho escarlate
/ prenúncio de vida

A natureza acorda sonolenta
/ num compasso de espera
Com o despertar da passarada
/ num alegre gorjeio
Que harmoniosamente executa
/ melodias angelicais
Um hino de louvor ao dia
/clamando graças ao Senhor.

Os primeiros reflexos
/ de luz
No mar é lançado
/ espelhando a natureza
Seus raios fulgurantes
/ cintilam emergindo do mar
No grande espelho refletido
/ no azul do universo
Dançando a valsa da brisa
/ harmonizando o paraíso.

As ondas entrelaçadas
/cruzam os mares
Debruçam suas espumas
/ como flocos de neve
Que vem beijar as praias
/ e se esvoaçam ao sabor dos ventos.

Este deleite do nascer do sol
/ soberbo espetáculo
De mansinho
/ vai clareando aos poucos
Inundando de infinita beleza
/ e esperança
Para sempre levou
/ a angustia reprimida
Aquela minha secreta
/ paixão angustiante
Intensa
/ forte e abrasadora
Tristeza...
/ sem fim...

Nenhum comentário:

Postar um comentário