Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

CAIÇARA EM DUETO




O dia amanhece/O sol desponta
Tarrafa nas costas/ Alegria de viver
Lá vai o  caiçara / Batalhar pelo alimento 
Rumo ao mar / Rumo ao mundo                                                                                                                                                                                                                                                 
Vai buscar o sustento / Escutando o marulhar
Mãos calejadas/ Perdidas noites
Corre  a orla  da praia/ Olhos fixos para o mar
Sol castiga a pele/ rugas de marcas infinitas
Pés descalços na areia/ Caminha para o lar
Todos os dias  repete/ A labuta de cada dia
Guiado pelo chamar das correntes / Em dias de sol e chuva fina
Uma tarefa que a vida / Sem contar os momentos
Lhe impôs por capricho/ Um caiçara a beira mar
Vê o tempo passar / Solitário continua
Marca as horas / Esquece do tempo
 Areia escaldante / Ondas a quebrar                                                                                                       Nas sombras das pedras/ Olhar para o mar
O cantar das gaivotas/ Anunciação para pescar
No refluxo da maré/ Canoa de esperança
Fim do dia retorna a casa/ A fome vai saciar
Com  frutos retirados do mar/ É um brindar
Missão cumprida/ Fadigado está
Vai descansar / Na beira da praia... vai sonhar...
Afonso Prates da Silva / Sandra Helena Queiróz Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário