Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Bosque Poético


Soltando as linhas do pensamento
Distancie-me dos caminhos que percorria
Adentrei nos bosques poéticos da minha mente
Estrofes e versos bailavam
Embriagando minha vida com os sabores 
Que a poesia permeia quando escrevo
São condões mágicos que volitam...  
Nos fios de lembranças longíquas
Sou um pouco de tudo...
Neste ar que respiro 
Solto-me das amarras
Percorrendo os caminhos deste bosque
Escrevendo
Lendo
Versando
Poetando
Com gravetos em folhas amareladas
Caídas pelo vento, sopradas ao relento
Caindo pouco a pouco no chão 
Transformando-se em soneto

Um comentário:

  1. "Minha Poeta

    A predominância verbal no uso do gerúndio,o amor pela poesia, só vem confirmar a veia poética que trazes na alma. Que Deus conserve sempre: o dom que lhe é nato, e a atividade criadora.

    Abraçãooo

    @fonso"

    ResponderExcluir