Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Villa-Lobos: O canto do cisne negro

O BICHO HOMEM (AFONSO PRATES DA SILVA)


* Afonso Prates da Silva é escritor e músico (pianista) nascido em Laguna. Também foi Industrial, além de professor com graduação em Letras (Português e Espanhol). Diretor da Fundação Educacional de Santa Catarina. Criou o curso de Espanhol em Braile no estado.

Homenageando meu querido primo, que traz nas veias o pulsar da música com o embalo da escrita.


Em 1947, Manuel Bandeira da Janela de sua casa na Lapa via cenas impressionantes; baseado nestas, fez uma poesia que contribuiu como um grito de alerta, já que, na sociedade há pessoas que vivem do lixo e no lixo.


O BICHO

VI ONTEM um bicho
Na imundície do pátio
Catando comida entre os detritos.
Quando achava alguma coisa,
Não examinava nem cheirava:
Engolia com voracidade.
O bicho não era um cão,
Não era um gato,
Não era um rato.
O bicho, meu Deus, era um homem.
Passado aproximadamente sete décadas, pergunto o que foi feito pelos nossos governantes? O que vemos agora é um grande número de pessoas vivendo exclusivamente do lixo. Onde ficaram as promessas de nossos políticos? A informalidade apresenta-se numa velocidade impressionante, em cada sinaleira de nossa cidade um artista se apresenta por umas míseras moedas, temos malabaristas, palhaços enfim, pessoas que honestamente defendem o pão de cada dia, e não me digam que é malandros vão vocês para o escaldante sol do meio dia trabalhar no asfalto. É este o tipo de solução encontrada?
E aí senhores políticos? Que nos dizem a respeito!
Nada mudou, o bicho continua sendo, meu Deus, O homem atual.

sábado, 21 de maio de 2011

Quando eu me chamar saudade - Nina Becker (SOM BRASIL - NELSON CAVAQUINHO

O TEMPO




Olhei a manhã dourada vestida de claras cores.
O sol surgindo, ao longo do horizonte
O colorido céu a espelhar-se na fonte.
O vitral da manhã banhou-se de esplendores.
Breve passa o tempo,
Tão breves quanto às espumas,
Por que dia igual
Não voltará jamais, ao singular roteiro das vastidões da Vida.
Pelas janelas largas da imaginação, afoguei meus pensamentos.
No sopro leve do vento, sentindo na face à aragem benfazeja,
Aumenta a minha esperança
Concretiza meus sonhos alados.
Não vejo o perfume da flor,
Mas sei que ela existe,
Assim como existe uma poesia em cada coração.
Unindo fragmento a fragmento
Terei no tempo, um novo sonho
Para sonhar
Sem sofrer e sem chorar.

QUEM ÉS TU

Quem és Tu,
Um espanto,
Um pedaço de gente
Com coração de anjo?
Quem és Tu,
Que visitas meu aconchego
Dá-me um dengo e
Sorri com olhar distante.
Quem és Tu,
Uma prisioneira dos sentidos
Dos mais puros ou impuros?
Conquistas os olhos dos poetas,
Contemplas a luz do canto da sala,
Pouco dizes ou nada fala.
Quem és Tu...

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Il Divo - The Winner Takes It All (Va Todo Al Ganado

ANGÚSTIA


Esta angústia de encontrar
Os outros em nós
A descobrir o nosso gesto
Esta angústia de não ser xérox
Segunda-mão do desconhecido
Esta angústia faz-me mais só
Num mundo dúbio

Esta angústia
Não usa disfarces
Essa essência limitada
Só aceita pela existência
De uma força fora do alcance da mão.
Essa angústia constante
Por um mundo melhor
Sem muita frustração

segunda-feira, 16 de maio de 2011

RECORTEI E COLEI


Recortei meu passado
Retirei o que era desnecessário
Colei em alguns cantos da memória
Minhas lembranças
Saudades
Vivências
Tudo que sou e trago
Como um recorte da vida
Já colei cacos
Recortei fotografias
Colei novamente por arrependimento
Outras recortaram eliminando momentos
Sentidos e doloridos
Colaria
As inúmeras vezes que insisto
Em lembrar e as mesmas se foram.
Mas está ali
Guardadas a sete chaves
Que certo dia deve recortar
Hoje recorto os momentos
Que passam e colo
Nas paredes internas
Para minha alma ter acalento.
Recortaria e colaria
Até a data presente,
Sendo dividido em vários episódios
O que vivi e o que estou vivendo
Colaria tantas vivências
Que não recortei
Que minha mente insiste deixar
Colada em minhas lembranças

MISSÃO DA ARTE DE AMAR


Pouco importa que a sombra da montanha
Não cubra toda a planície
Mais importante é pressentir
A quente presença do sol
De nada vale ficar lamentando
Os bons momentos que se foram
As oportunidades que não vieram
Porque mais importante é seguir acreditando
E não lamentar o sonho decepado
Muito mais importante é perdoar
Porque nem todos assimilam a beleza
A mensagem do amor
A profundidade do ser
Nem todos entendem.
Surge, na verdade
Que a mensagem do amor prossiga:
Criando beleza
Distribuindo paz
Trocando sugestões
Enfeitando trilhas
Recriando a existência
Levando as cincurtâncias para
O Sonho Maior e duradouro.
Quem deixa rastros identificadores
Quem ama plantando auroras
Cavando em almas
Semeando a fé
Jamais poderá dizer que não ama a vida.

domingo, 15 de maio de 2011

MÚSICA / MEU EM EM VOCÊ

FAÇA NOVO CADA AMANHECER



Hoje, quando amanheceu
O novo mundo se instalou em nós e por horas
Por momentos ele trouxe sonhos
Nos fez brincar com o tempo
Tirou gênios da garrafa
Trancou bruxas no calabouço
Nos fez melhores
Não deixe perder o encanto, não deixe
Corra atrás dessa magia, convide-a para morar contigo
Terás paz sempre
Ser amado é praticamente maravilhar-se com o fato
De estar vivo e não passar correndo pela vida
É deter-se não só diante do amanhecer de todos os dias
Mas de cada aurora que nos é dada esperar e desfrutar
Ser amado é entender que o amanhecer
De hoje nos encontrou em glória
Em alegria
Em comunhão
Em êxtase.
Em outras palavras
Estar amando é abrir-se para as infinitas
Possibilidades que a vida nos proporciona
Não recusar sob qualquer pretexto
A vivência de cada uma delas
É nascer e morrer num mesmo dia
E de novo renascer
Catar cacos
Ficar inteiros
Espatifar-se novamente
Outra vez recomeçar
Refazer
Reconstruir
Ressurgir
Repensar...
Quando você descobrir que estará
Caminhando para o seu desenvolvimento
Completo e a um passo da sua felicidade/paz
Mesmo sabendo consciente
Que o mecanismo do sexo pleno
Ainda está distante
Pois nunca foi revelado
Que tudo isso conduz à unidade
Ela nos confere a plenitude
Quando entendermos este admirável mundo novo
Faremos do nosso próprio tempo de viver,
Um único a cada novo amanhecer.