Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

VALSA




"Para o ignorante, a velhice é o inverno da vida;
para o sábio, é a época da colheita."

2 comentários:

  1. Oi Sandra
    Lindo e nostálgico poema. Deu até vontade de dançar uma valsa.
    Bjux

    ResponderExcluir
  2. Querido Poeta,

    É só valsar pelos salões da imaginação, que delícia!

    Beijos de Luz!

    ResponderExcluir