Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

CONJECTURANDO


Quando olhamos o céu em noite calma e límpida
Sentimos que a nossa inteligência é franzina
Para conceber a Obra maravilhosa do Criador
Diante dos nossos olhos pasmados
As estrelas são caravanas luminosas
A desfilar pelo deserto
Insondável do infinito
Os planetas rolam
Segundas leis eternas
Pelos abismos do espaço!
Uma noção, surge logo bem nítida em nosso espírito:
A noção da Eternidade.
Romper elos desta nossa não é premissa.
Para colocá-la em segundo plano: Faz parte dela.
São áureas e é a própria alma
Num plano muito além
Incolor e transparente
Todas as coisas que não se alteram
São belas por si só
E se bastam
Transcendendo a isso,
Deixei toda colocromia da natureza me possuir
Mas, não te digo simplesmente.
O que te digo,
Pelo fato de querer te dizer
Porque desta forma
desvinculo a noção
De cor e beleza

Nenhum comentário:

Postar um comentário