Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

NOSSOS HÁBITOS E ATITUDES/2011


O ano está por terminar,
uma nova etapa de dias começa a retornar.
Muda-se os números , as pessoas, os lugares...
Somos capazes de desejar tudo de bom ao outro
em forma de código pré estabelido pelos anos que passam e que vão.
Paremos e desta forma somos capazez de analisar
que o ano só será novo quando nossos hábitos forem outros e junto
com nossas atitudes tranformamos em realizações,
para com isso desejar-mos ao outro
a mesma sintonia de alegria que invade o coração.
Então, sugiro que o ano comece novo,
mas dentro de cada um de nós,
para não cometer-mos os erros anteriores ao ano vindouro.
Somos capazes de pedir tanto e retribuir muito pouco,
não só com o alheio, mas conosco em todos os sentidos.
Agradecer em primeiro instante de virada,
por estarmos dividindo alegrias e vibrações aos que nos cercam,
pela vida, por mais uma jornada de lições e de aprendizado com o nosso cotidiano.
Assim encerro o que desejo a todos,
uma virada de hábitos melhores e restauradores com atitudes muito mais equilibradas,
trazendo harmonia para o dia a dia.

FELIZ 2011!

Beijos de Luz !

sábado, 18 de dezembro de 2010

"É o Natal no coração que põe o Natal no ar."

"Natal é mais verdadeiramente Natal quando nós celebramos dando a luz do amor aqueles que necessitam mais." (Ruth Carter Stapleton)

"Lembre-se, se o Natal não é achado em seu coração, você não o achará debaixo da árvore." (Charlotte Carpenter)

"Que as realizações alcançadas este ano, sejam apenas sementes plantadas, que serão colhidas com maior sucesso no ano vindouro."(Autor desconhecido)

"Se chovesse felicidade, eu lhe desejaria uma tempestade. Feliz Ano Novo!"

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

TRANSFORMAR É MUDAR

TRASNFORMAÇÃO


Corro sem destino
O mar me acalma,
Sinto em suas ondas,
A sincronia do mundo
Paro por uns minutos
Percebo que me esqueci
Da angústia que me oprimia
Meus anseios desvairados
Imediatista, talvez,
Mas desejava o imponderável
Incerto sabor de saber.
Mastigava palavras sem nexo
Formava frases desconexas
Somente pelo simples prazer.
Agora, o mar me retira
D'alma tal sofreguidão.
Retorna a calmaria,
Como um arco-íris
Anunciando novo tempo.
Tempo este que exprime
Novos sonhos, novas etapas.
Renovo-me como as ondas
Que a cada instante
Quebram-se na praia
São tão sucessivas e únicas.
Parecem alvas túnicas
Bailando sem música.

sábado, 11 de dezembro de 2010

LEMBRANÇAS

O MELHOR DE TUA VIDA




O melhor de tua vida
Passastes ao meu lado.
De que serve lamentar o concreto
Diferente do abstrato que sonhamos
O vento quando passa, não marca regresso.
Há de haver entre nós
Uma estranha presença de nós dois
Um amor
Que não tenha estacionado o equívoco do ser
Estaremos tão nós que dentro de nós
Nascerá à intimidade na esperança.
Seremos do eterno a eternidade
Do manso a mansidão
Do brusco a incerteza de todos os sentidos
Viveremos ao longo de nós mesmos
Sem saber de céus e coisas a mais.
Morreremos no mar
Para termos certeza em sobrevida no abismo.
Calaremos se alguém disser
Que nos cristalizamos
Em estátuas e regatos de pedra
Levantaremos os olhos para o nada
E nos enxergaremos
Num fenômeno cósmico qualquer.
Gritaremos ao mundo
Que nunca existiu um bem
Que sendo um,
Fingirmos dois
Vibraremos
Em mármores de amor
Tudo por que
Há de haver entre nós
Uma estranha presença
De nós dois







sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

VALSA




"Para o ignorante, a velhice é o inverno da vida;
para o sábio, é a época da colheita."

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

DIVINDADE DA ÁGUA DOCE


Orixá do amor, da harmonia e da concórdia.
Equilíbrio emocional.
Senhora das águas doces, rios e cachoeiras.


No banhar dos rios
Em ouro um espelho refletia
um ar místico em forma
de mulher
Soberana
mãe das águas doces
com o traçar da força que
expande junto à natureza
Sua majestade chegando ao
lugar proposto
reluz brilho e
transforma o ambiente
em raios de sol
a espelhar-se na beleza e
perfeição deste orixá de luz
Oxum
herdeira de tronos e
bandeiras
cuja causa é dissipar
maus fluídos
Harmonizando e
banhando com suas águas
as impurezas do mundo




Reino: Cachoeira.

Cor: azul royal. Elemento: água.

Dia da semana de maior vibração: segunda-feira.

Planeta: Lua

Características dos seus filhos: Docilidade, sensibilidade (choram com facilidade), místicos.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

MENTES TÃO BEM

DESPERTEI

Despertei,
Do meu monólogo tão silencioso.
Abandono à carga irônica
Da palavra impertinente
Esbanjada pela boca.
Despertei sem desespero,
Medo ou cobiça.
Sai do aquém e fui
Para o metafísico
Em liberada aceitação plena
Em toques mágicos
De interiorização.
Burilando rotinas
No dia a dia constante
Nesse empenho de crescer.
Navegar desertos de extintos desejos,
Dar formas as coisas apenas pressentidas.
Despertei...
Como a ave no seu primeiro vôo
Vislumbrando a estranha sensação
Na dimensão que advinha falha
Ante ao pouco revelado

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

"PROMESSAS DE AMOR"

VERTENDO D’ALMA




Olhos nos olhos
Fitamos um caminho
Percorro teu corpo
Sua estrada infinita
Chegamos, ao delírio certo
Deste encanto mágico
Corpos ardem
Vibram
Nossos lábios tremulam
Palavras desordenadas
Regadas do amor
Vertendo d’alma
São caminhos percorridos
Estado único sentido
Sou eu em teu corpo
Entrelaçada em carinho
Teus braços me afagam
Em suspiros deliramos
Somos encaixe feito jogo
Dos caminhos percorridos
Dois corpos unidos
Exalamos o êxtase profundo
Deste amor dividido
Vertendo d’alma
Murmúrios do mundo


quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

CONJECTURANDO


Quando olhamos o céu em noite calma e límpida
Sentimos que a nossa inteligência é franzina
Para conceber a Obra maravilhosa do Criador
Diante dos nossos olhos pasmados
As estrelas são caravanas luminosas
A desfilar pelo deserto
Insondável do infinito
Os planetas rolam
Segundas leis eternas
Pelos abismos do espaço!
Uma noção, surge logo bem nítida em nosso espírito:
A noção da Eternidade.
Romper elos desta nossa não é premissa.
Para colocá-la em segundo plano: Faz parte dela.
São áureas e é a própria alma
Num plano muito além
Incolor e transparente
Todas as coisas que não se alteram
São belas por si só
E se bastam
Transcendendo a isso,
Deixei toda colocromia da natureza me possuir
Mas, não te digo simplesmente.
O que te digo,
Pelo fato de querer te dizer
Porque desta forma
desvinculo a noção
De cor e beleza