Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Pedro Barroso - Menina dos olhos d'água

PINTURA DE RENDAS E RETALHOS



O corpo seduz
Vestindo rendas
Aguçando
Teus olhos
Enlouqueces
Emudeces
Vindo de mansinho
Que nem menino
Curioso pra saber
O meu gosto
Cheiro
Desejo
Despertando
Nossos corpos
Explodindo anseios
Devaneios
Hoje
Tão ausente
Distante
Carregando as ilusões
Emoções vividas
Tornaram-se retalhos
Tão pequenos
Tal qual o dia
Em que percebi
Minhas curvas
Não eram as mesmas
A renda não evidenciava
O menino despertara
Aguçou
Outros desejos
Neste instante
Fica retratado em uma tela
Pintura de dois corpos
Entregues ao amor
De vários momentos
Pensando ser para sempre
Ofuscava nos olhos
Dos enamorados
Rasgaram-se as rendas
Transformaram-se em retalhos

CONTAS AZUIS


Duas contas
Tão azuis
Brilhantes
Reluz
Seduz
Propícia
Desejos
Encanta


São duas contas
Tão azuis
Refletindo
Amor
Conquista
Loucura


Há estas contas
Tão azuis
São teus olhos
Fascinados
Amando
Querendo
Meu corpo


Contas o que queres
Através destas contas
Tão azuis