Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

quarta-feira, 3 de março de 2010

RUMO AO NADA... RUMO A TUDO...

Concha do mar
Ouvidos alertas
Escutando o marulhar
Fecho os olhos
Navego em alto mar

Seguro firme o leme
Sigo rumo ao nada...
Rumo a tudo...
Navegando
Nos sonhos percorridos
No sossego do meu silêncio

Sou marujo desta embarcação
Velejando sobre ondas
Descortinando o azul
Um bailar de cores
Sinto-me uma aquarela marinha

Percorro milhas
Encontro ilhas
Atraco
Caminho, encontro
Sentando em rochas negras
Um reluzir humano

Humano centralizado
Nas convicções do Bem
Indaga o porquê...
O que estão a fazer...
Em suma...

Isolado
Tenta viajar distância
Navega tanto quanto...
Deste encontro
Em cada semblante
Um espelho sem reflexo
Apenas, uma viagem
De dois navegadores
Rumo ao nada...
Rumo a tudo...






Nenhum comentário:

Postar um comentário