Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

sábado, 27 de março de 2010

ESCONDERIJO TEMPORÁRIO

No vão dos caminhos
Seguimos atalhos
Retrocedendo os medos
Vigiando passos
Serelepe de desejos
Arremedos

Esconderijo temporário
Calmaria das noites
Dias ensolarados
Deslumbrante é o Amor
Acariciando a pele
Chamas de calor

Esconderijo temporário
Sossego
No teu aconchego
Contemplo o momento
Mãos dançando
Bailando no meu corpo
Sutis toques
Trêmulas pernas inquietantes
Aquecendo-me por inteiro

Extraordinário
Esconderijo imaginário

Presságios

DORES D'ALMA


segunda-feira, 22 de março de 2010

POEMINI 13


PIGMENTOS MULTICORES

Pigmentei meu corpo
Cobrindo as marcas
Feridas e cicatrizes acinzentadas
Com as cores vibrantes do arco-íris

Cura imediata
Para o caos do inconsciente
Transmutando além esfera
Que circunda meus pensamentos.

Êxtase eufórico
Sublimando paz
Neste corpo cansado,
Fadigado
Dos anseios retribuídos de alheios,
Mesclando com os meus.

Pigmentos multicores
Nos cantos brilham
Na escuridão sombria d’alma sofrida
Dos conflitos gerados
Conseqüência da maldade
Violando o direito do respeito;

Picharei
Os muros
Minhas paredes internas.
Destruindo
A palidez escurecida
Da insanidade
Onde muitos caminham
Destoando da Humanidade

sexta-feira, 19 de março de 2010

SINFONIA DOS LÁBIOS


Sinfonia dos lábios
Atração fatal
Sentir o gosto
Saborear o beijo
Desabrocha o desejo
De ser tua
Toda nua
Nos braços teus

Sonata delirante
Murmúrio de paixão
Lábios colados
Deslocados
Momentos dançarinos
Línguas soltas
Alucinação
Deste beijo ardente
Somente teu

Sinfonia de lábios
Enlouquecendo o corpo
Vibrando em acordes
Serenata de amor
Tocam sinos
Refletem luzes
São meus lábios
Trilhando caminhos
Encontra o destino
Sacia a sede
Do prazer

Sinfonia dos lábios
Marcante momento
Registro d’alma
Vontade constante
Prelúdio sentimental
Tornei-me músico
Bailando contigo
Nas longas horas
Bailes inesquecíveis
Ritmados na grande
Sinfonia dos lábios

Memória da Pele

quinta-feira, 18 de março de 2010

Djavan - Meu bem querer

JURASTES AMOR...


Jurastes amor...
Respirasse meu ar
Roubasse as ilusões
Soltando nos ventos...
Terrenos agrestes
Este amor orquestra
Baladas e Blues

Noites incandescentes
Indecentes
Pleno gozo
Vida em dueto
Canções cantaroladas
Dança colada
Suando desejos
Transpirando sensações

Jurastes amor...
Confessasse paixão
Pecasse na traição
Trocando meu corpo,
Lençóis, quarto, canção

Jurastes amor...
Perdesse o encanto
Trocando meu amor
Por lábios de carmim
Colocando nos meus
Secura d’alma

Evidenciando
Jamais ter feito
Juras de amor...

sábado, 6 de março de 2010

Phil Collins - You'll be in my heart

MÁGICAS DE AMOR


Contraio meu corpo
Retorço em desejos
Contenho as vibrações
Dos momentos desordenados
Seguro firme

Impetuoso cheiro de amor
Saboreio
Lambendo os dedos
Nos confins desses embalos
Suando os corpos
Enfeitiçados neste caldeirão
Sou feiticeira encantando
Meu bruxo matinal

Bebo a seiva
O suco da vida
Refeição completa
Desalinho o traçado
Quebrando paradigmas
Somos dois ímãs
Colados nas paredes
Pura sedução

Coração amarrado
Soltou as amarras
Caiu em tuas garras
Enlouquecidos e extasiados
Neste amor mágico
Sem mistério

Sou feiticeira
Você meu bruxo encantado
Fazemos mágicas de amor
Em pergaminhos rascunhados

quarta-feira, 3 de março de 2010

Lulu Santos- Descobridor Dos Sete Mares (Ao Vivo)

MEU IMAGINÁRIO CORRE MARES

Céu azul, nuvens brancas
Pensamentos distantes
Refletindo ao longe
Uma paixão cortante
Sufocando a alma
Alimentando a vida

Substituindo a tristeza
No olhar de alegria
No risco da saudade
Acima do horizonte

Corro mares
Atravesso Continentes
Derrubo portas
Abro janelas
Deito ao lado
De meu amado

Distancias geladas
Quanto o vento
Soprando de leve
A branca neve
Congelando o peito
No momento do encontro

Volto em mares
Alguns lugares
Retorno a realidade
Do meu imaginário...


RUMO AO NADA... RUMO A TUDO...

Concha do mar
Ouvidos alertas
Escutando o marulhar
Fecho os olhos
Navego em alto mar

Seguro firme o leme
Sigo rumo ao nada...
Rumo a tudo...
Navegando
Nos sonhos percorridos
No sossego do meu silêncio

Sou marujo desta embarcação
Velejando sobre ondas
Descortinando o azul
Um bailar de cores
Sinto-me uma aquarela marinha

Percorro milhas
Encontro ilhas
Atraco
Caminho, encontro
Sentando em rochas negras
Um reluzir humano

Humano centralizado
Nas convicções do Bem
Indaga o porquê...
O que estão a fazer...
Em suma...

Isolado
Tenta viajar distância
Navega tanto quanto...
Deste encontro
Em cada semblante
Um espelho sem reflexo
Apenas, uma viagem
De dois navegadores
Rumo ao nada...
Rumo a tudo...