Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

CAMISOLA TRANSPARENTE


Cubro meu corpo, vestindo uma camisola transparente.
Coloco no meu avesso, vestindo minha alma com traje descente.
Caminho ao encontro de viajantes, seguidores de elos perdidos
Conectados a minha corrente
De camisola...
Pés descalços...
Levito nas águas sagradas de mãos dadas com a Divindade
Majestade erguida, no trono sentado
Alcança seus filhos mergulhando nas águas salgadas
Sigo o caminho entro nas matas
Camisola ao vento
Durmo ao relento
Mais um dia clareou, sou levada as cachoeiras
Banho-me no raiar do sol, descortinando a natureza
A noite aproxima os viajantes fazendo uma grande festa,
Sentados na beira da estrada
Dançamos, cantamos
Cabelos soltos uma flor presa ao lado
Danças flamengas
Muito ouro e fervor
Surpreendida por tanta alegria
Escuto de um lindo cigano
Eu te amo
Meus olhos fascinados, no olhar embriagador do momento
Retiro a camisola e volto ao esquecimento

Um comentário:

  1. Olá Sandra
    É ruim quando despertamos de um sonho bom. O que nos restar é tentar transformar esse sonho em realidade.
    Beijos

    ResponderExcluir