Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

ENCONTRO DESCONEXO


Silencio absoluto
Ronda meus pensamentos
Salto nas correntezas
Cristalinas de lembranças
Suspensas em linhas invisíveis

Tento compreender
O significado do mergulho
Procuro
Encontro outra forma
Com traços marcantes
No presente

Neste papel
Brotam ideias
Inspiração
Vem de mim
Ou do encontro
Que me perdi

DUPLO SENTIDO

Certa vez, em uma cidade do interior
Cartazes espalhados por toda parte
Nas rádios propaganda anunciando um grande baile
Para comemorar o aniversário da cidade
A notícia logo se espalhou na cidadezinha
E arredores
Uma moça muito bonita recém- chegada
A pacata cidade
Entusiasmou-se com tal baile
Dia do baile lotação superada
A dança corria solta pelo salão
A bela moça esperava um convite
Para dançar
Não demorou muito
Um belo rapaz muito bem vestido
Aproxima-se e faz o convite
Vamos dançar senhorita?
Depois de duas voltas pelo salão
A moça não aguentava mais o cheiro
Forte de suor do pretendente
A música parecia não ter fim
Com toda gentileza e muita educação
A moça fala ao seu ouvido
VOCÊ SUA...
Imediatamente a resposta
Entusiasmada do mesmo
VOCÊ SEU

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

La corda .. Romance On Violin ..

DESNUTRIDOS





Definhando
Caminham
Desnutridos
Sentindo
Fome
De sorrisos
Esperança
Alegria
Dignidade
Justiça
Mão amiga
Amor
Momentos
Transformadores
Nutrientes
Saudáveis
Prometendo
Ajuda
Tirando
Do confinamento
Deste mundo
Mesquinho
Poder
Palavra
Que derruba
Suga as paredes
Do ser
Desnutrindo
Destruindo
Sem nada
A fazer

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Jorge Aragão & Jorge Vercilo - Encontro Das Águas

LABIRINTO


A vida é um labirinto
Quantos corredores
Saídas erradas
Tentativas constantes
Acertos
Labirinto de espelhos
Escuros
Luzes
Onde está a saída?

Perdidos
Quantos estão
Estará
Está
Labirintos complicados
Dificuldades
Para enxergar

Soluçando
Labirinto
Vou ao encontro
Do meu interior
Entrando
Saindo
Confuso
Deste meu mundo
Intensa
Sedenta
Encontrei a saída
Hoje sei o que é
Viver a vida

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

DORMIR CONTIGO

ABRASA-ME

Abrasa-me
Envolta em teus lábios
Ferve a seiva
Do beijo ardente
Lateja a alma
Escalda o corpo
Supera
A espera

Abrasa-me
Teu abraço
Caloroso
Os corpos ardentes
Ranger de dentes
Entre nós
Os lençóis
Em chama
Sussurro
Você me ama?

Abrasa-me
Eu te amo
Um amor
Tão intenso
Sou vulcão
Transbordo
Minha lava
No teu corpo
Em brasa

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

FLOR DO AMOR

Há uma flor
Com nome de Amor
Amor no silêncio
Jardins
Florescendo
Nos quintais
Quem dera
Esta flor
Trocando de lugar
Sendo o verdadeiro
Amor (ilusão)
A flor
Chama-se
Amor - perfeito
Este que julgamos
Conhecer
Este que machuca
Arde
Consome
Em noites
De amor
Dor
Ao amor machucado
Cura
Ao esperado
Coração sorridente
Ao amor-próprio
Um grande espelho
Enfim
Ao amor Irmandade
Todos unidos em prol
De igualdade

sábado, 23 de janeiro de 2010

MOMENTOS NOSTÁLGICOS

ESCOLHAS DO CORAÇÃO


Crescer significa mudar e mudar envolve riscos,
Uma passagem do conhecido para o desconhecido.
Situações visíveis aos olhos humanos, mas, não compreendido.
Faltam respostas, diante de inúmeras perguntas...
Certifico-me que só um homem, atingiu a plena satisfação
Do Criador.
Tornou-se carne e jamais violou os mandamentos
Trazidos em sua bagagem terrena.
Não desperdiçou com coisas banais.
Mostrou e mostra ao mundo a capacidade única
De sermos melhores
Viver de ilusões continuamente sem base
É não ter alicerce para a fusão grandiosa do Grande Amor.
Segue as escolhas do coração
Somos espelhos de nós mesmos
Sem reflexo dos outros
Nosso crescimento depende unicamente de nós
Viajamos sozinhos... Para um despertar
Partiremos sozinhos... Ao grande mundo a espelhar
Nossos reflexos brilharão em águas cristalinas
Ou evasivas de tantas vidas
Mal vividas.


sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

"Aonde você está" Banda Prakatá (Laguna/SC)

Música de trabalho da Banda Prakatá (Laguna/SC)
Carnaval 2010 - Atrás desta Banda só não vai quem já morreu
.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

CONTIGO, COMIGO, CONOSCO


Contigo amo-te
Nos limites
Do coração
Sinto tua seiva
Teu sabor
Tua paixão

Comigo andas
Lado a lado
Muitas vezes
Calado
Trazendo este amor
Sentido

Conosco o elo
Da cumplicidade
Caminha
No sossego
Da amizade

Contigo estou
Comigo estais
Conosco vamos
Sem olhar
Para trás

MUDO SURDO E CEGO

Calar-se é dom de poucos.
Calar-se diante da injustiça
Deceparam a língua
Soltar a voz em Verbos
Preferível ser surdo
Quantos surdos ouvem
Quantos mudos falam
Quantos que escutam
Fazem ser surdos
Quantos que falam
Deveriam ficar mudos
A cegueira é um estado
De ver o mundo às escuras
O verdadeiro portador
De cegueira enxerga
Luz na escuridão
Os olhos para alguns são
Cobiça
Inveja
Maledicência
O mudo
O surdo
O cego
Transcende a decência
De um mundo
Com displicência




segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

ERGUIDO FOI, ERGUIDO ESTÁ

Haiti - Novas Imagens Igreja desaba e Cruz com Jesus fica intacta após terremoto.


ERGUIDO FOI, ERGUIDO ESTÁ

No assombro do terremoto
Nos escombros amontoados
Centenas de pessoas escondidas
Por debaixo
Empoeirados
Machucados
Sofridos
Sem Vida

Ao redor surgem
Desesperos
Gritos aflitos
Das perdas inumeráveis
Crianças órfãs
A espera de pais
Amáveis

Jesus Cristo
Preso a Cruz
Permanece intacto
Com o grande impacto
A atmosfera
Circunda
Além dos destroços
Jesus continua
Junto dos devotos
Sua imagem
Reflete
No país devastado
Com a força
Da natureza
Jesus na cruz
Reza
Pai-Nosso que estais
Nos céus
Neste país
De sofrimento
Dai paz a tantos réus

Prisioneiros da fome
Lutas sem conquistas
Surge à grande
Catástrofe
O mundo
De mãos dadas
Surge dando
Guarida

Nos momentos
Dores
Grande sofrimento
Pare
Pense
O que somos
O que temos
Simplesmente
Um corpo que vive
Ou morre
Devastado
Pela natureza

sábado, 16 de janeiro de 2010

O PERFUME DE SÂNDALO


No silencio
Concentrada
Exala um perfume
De sândalo
Identifico

Sinto que o cheiro é
Familiar
Meus olhos
Enchem-se de luz
Ao perceber que tal cheiro
Era característico de
Minha irmã carnal.
Pertenceu a Ordem
Rosa Cruz

Mística
A esfera que circundava
Era leve e suave
Flutuei como pluma
Emergi na suavidade
Do perfume que trazia
Entrelaçamos pensamentos

Somos elos unidos, cujo
Véu que cobre os olhos
É premissa ou
Desvendado a medida
Em que haja uma
Evolução mútua.
De Irmandade


Pássaro de Fogo

DESENTRANHAR

Recomposta
Com respostas
Hoje vou
Desentranhar.
Amarguras
Torturas
Em minha mente
No peito entranhado
Insistem em ficar.
Abriga coração
Alegrias
Sacode
As tristezas
Que na vida foi
Causada
Com destreza.
Assopra
Varre
Das minhas
Entranhas este
Mal que muitas vezes
Teima
Em desobedecer.
Sai destas
Entranhas
Todo mal
Que me aflige
Hoje há
De desentranhar
Nas respostas
Que obtive.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

CADA MISSÃO TEM SEU GRILHÃO


Cobri meu corpo
Desnudo
Perfumei minha
Alma com rosas
Banhei-me
Em águas perfumadas
Minha mente
Inquietante.

Sorri para vida
Esta escolhida
Em missão preferida
Do que venho
Tentando ser.

Sou humano
Na medida do
Que posso.
Sentido de perto
O soluço dos
Que sofrem.

Cada grilhão carregado
É a cruz destinada
Na missão desta vinda.
Quem tem ombros
Que a carregue
Quem não os tem
Que reze.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

RETRATO DE MULHER

Refletida no espelho
Da vida
Vejo esta mulher.
Com seus amores
Dissabores
Das desilusões
Vividas.
Sufocou gritos
Amargurou tristezas
Soluçou de saudades
Brindou a felicidade
Conquistou espaços
Perdeu lugares
Foi substituída
Sobreviveu
Olhando um retrato
Amarelado
Surgiu idéias
Inovou
Deixando amontoado
O passado.
Vez por outra
Remexe no álbum
Que retrata
Guardando
O que foi esquecido
Em um retrato
De mulher
Muitas vezes
Adormecido.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

TEIAS



És capaz
De
Tecer uma teia?
Prendendo
Sufocando
Nos fios
Entremeia
As aranhas tecem
Alimentando-se
As pessoas
Tecem para
Afastar-se.
As grandes teias
São que
Nem
Cobreiro brabo
Não adianta
Cortar a cabeça
Nem o rabo.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

O MUNDO DE UMA POETISA

Tenho muitos momentos,desenho,escrevo é admiravel este mundo que me cerca e me faz voar além de mim.
Este desenho é de autoria de Sandra Helena Queiróz Silva e está registrado.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

POETAS E POETISAS


Nas fibras do peito
Na raiz que transmuta
No escrever
É o poeta.
Triste
Alegre
Sofredor
Capaz de tocar corações
E transpor a sua dor.
Em linhas
Prosas
Sonetos
Poesias.
Na esfera que rodeia
tua senda infinita.
Sonhador
Apaixonado
Desiludido
Conquistador
Quantos adjetivos
são expressos em
diversas formas de
segredos contidos
na mão de um escritor.
Aquele que se torna um
livro aberto em códigos.
Decifrando a alma e as
emoções em
poesias e canções.

GRITO DE SOCORRO

Chora natureza com tantos desgastes e ganância.
Foge para longe e leva junto os que contigo padecem.
Joga-te nas matas seguras e puras.
Mergulha nas águas cristalinas que em parte estão poluídas.
Respira este ar sufocante e gritante que não enxergam o mal que fazem.
Lamenta natureza, teu choro ecoa ao Criador.
Não fica revoltada com tanta agonia, solta teus gritos e mostra a tua força
diante desta gente tão indiferente, mas capaz de afrontar-te.
Mostra tua luz cortante nos céus gritando por socorro, em choro constante.
Destruindo os que em baixo ficam rindo, da tua dor frustrante.

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

SONHO IMPOSSÍVEL



Coração acelera
Num compasso sem fim.
São teus beijos
sufocando meu sentido
na madrugada em
clarinada no jardim.
Sugo a seiva tão
singela de beleza a
expandir-se em luzes e
sombras de dois
corpos tão afins.
Simulo o sonho e
torno realidade.
Vivendo um pouco
mais a fantasia escondida,
conduzindo meus pensamentos
ao encontro dos teus.
Sou apenas uma sonhadora.
Na busca deste sonho
a magia do encontro
transforma meu ser
neste querer.

PARTE ESQUECIDA

Nestas linhas que escrevo
Produzo o brilho do mundo que vivo.
Meu mundo é cercado de ilusões,
Amor,
paixão,
calor que abrasa
meu corpo em pleno ardor.
Comentam que sou poetisa
por escrever de tal forma.
Sou a essência dos sentimentos
vividos e vivenciados desta
vida contínua.
Divido por parte o encontro
do mergulho profundo na mente
que mente muitas vezes
para ser feliz.
Trago e trago a fumaça da vida,
engolida para não sufocar a partida.
Solto em letras e rabiscos no papel e
começo a sentir a leveza e a pureza do
que sou ou penso ser.
Não sou poetisa,
sou o encontro de mim e de
uma parte esquecida.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

NA ERA DO GELO

Estamos vivendo na Era do Gelo. Gelo em amigos, Parentes, vizinhos. Muitos parecem barras de gelo com laterais de ferro. O que está a acontecer com seres que seguem modismo, status, vivem de regras insensatas. Protegem-se do medo, receio, apegando-se as futilidades. Deixando de lado as necessárias. Nesta Era do Gelo, Filho mata pai, Pai mata filho. Agressões de pessoas sem nexo num trânsito complexo. Misturando tanto gelo, o aquecimento Amigal irá romper-se e teremos somente corações congelados. Que venha uma temperatura altíssima que derreta toda a camada desta Era que congela, degenera, sobrando alguns corações aquecidos. Em que muitas vezes é insuficiente para derreter os corações petrificados e sem amigos.

DESABAFO NO PASTO



Sou de carne e osso
Não sirvo de almoço.
Quero ser livre e
viver no pasto.
Sou congelado,
vou para o forno,
sou frito,
assado,
ensopado,
água na boca vai dar.
Não acho graça
tão pouco engraçado.
Em meu pasto quero ficar.
Inocente,
Vou para a mesa
acompanhado de cerveja,
bem alimentado tenho
que estar.
Pois carne apetitosa
querem apreciar.
Sou gado,
sofrendo calado
desabafando no pasto
uma forma de dor.

sábado, 2 de janeiro de 2010

MEDITAÇÃO


A música suavemente
penetra em meu ser
conduzindo a mente a relaxar.
Fecho os olhos
meu corpo adormece
a paisagem reflete
um descortinar de beleza.
Embriago-me de forma adequada
deixando por lá as
angústias da vida.
Caminho descalça
em verdes campos
o frescor da brisa trás
Paz.
Meu caminhar é imenso de
claridade
favorecendo-me.
Recolho luzes,
aromas etéreos e
aplico sobre meu corpo físico.
Retorno aos poucos
a música continua
desperto da meditação de energias
revigorando o espírito e
a mente frequentemente.