Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

NOSSOS HÁBITOS E ATITUDES/2011


O ano está por terminar,
uma nova etapa de dias começa a retornar.
Muda-se os números , as pessoas, os lugares...
Somos capazes de desejar tudo de bom ao outro
em forma de código pré estabelido pelos anos que passam e que vão.
Paremos e desta forma somos capazez de analisar
que o ano só será novo quando nossos hábitos forem outros e junto
com nossas atitudes tranformamos em realizações,
para com isso desejar-mos ao outro
a mesma sintonia de alegria que invade o coração.
Então, sugiro que o ano comece novo,
mas dentro de cada um de nós,
para não cometer-mos os erros anteriores ao ano vindouro.
Somos capazes de pedir tanto e retribuir muito pouco,
não só com o alheio, mas conosco em todos os sentidos.
Agradecer em primeiro instante de virada,
por estarmos dividindo alegrias e vibrações aos que nos cercam,
pela vida, por mais uma jornada de lições e de aprendizado com o nosso cotidiano.
Assim encerro o que desejo a todos,
uma virada de hábitos melhores e restauradores com atitudes muito mais equilibradas,
trazendo harmonia para o dia a dia.

FELIZ 2011!

Beijos de Luz !

sábado, 18 de dezembro de 2010

"É o Natal no coração que põe o Natal no ar."

"Natal é mais verdadeiramente Natal quando nós celebramos dando a luz do amor aqueles que necessitam mais." (Ruth Carter Stapleton)

"Lembre-se, se o Natal não é achado em seu coração, você não o achará debaixo da árvore." (Charlotte Carpenter)

"Que as realizações alcançadas este ano, sejam apenas sementes plantadas, que serão colhidas com maior sucesso no ano vindouro."(Autor desconhecido)

"Se chovesse felicidade, eu lhe desejaria uma tempestade. Feliz Ano Novo!"

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

TRANSFORMAR É MUDAR

TRASNFORMAÇÃO


Corro sem destino
O mar me acalma,
Sinto em suas ondas,
A sincronia do mundo
Paro por uns minutos
Percebo que me esqueci
Da angústia que me oprimia
Meus anseios desvairados
Imediatista, talvez,
Mas desejava o imponderável
Incerto sabor de saber.
Mastigava palavras sem nexo
Formava frases desconexas
Somente pelo simples prazer.
Agora, o mar me retira
D'alma tal sofreguidão.
Retorna a calmaria,
Como um arco-íris
Anunciando novo tempo.
Tempo este que exprime
Novos sonhos, novas etapas.
Renovo-me como as ondas
Que a cada instante
Quebram-se na praia
São tão sucessivas e únicas.
Parecem alvas túnicas
Bailando sem música.

sábado, 11 de dezembro de 2010

LEMBRANÇAS

O MELHOR DE TUA VIDA




O melhor de tua vida
Passastes ao meu lado.
De que serve lamentar o concreto
Diferente do abstrato que sonhamos
O vento quando passa, não marca regresso.
Há de haver entre nós
Uma estranha presença de nós dois
Um amor
Que não tenha estacionado o equívoco do ser
Estaremos tão nós que dentro de nós
Nascerá à intimidade na esperança.
Seremos do eterno a eternidade
Do manso a mansidão
Do brusco a incerteza de todos os sentidos
Viveremos ao longo de nós mesmos
Sem saber de céus e coisas a mais.
Morreremos no mar
Para termos certeza em sobrevida no abismo.
Calaremos se alguém disser
Que nos cristalizamos
Em estátuas e regatos de pedra
Levantaremos os olhos para o nada
E nos enxergaremos
Num fenômeno cósmico qualquer.
Gritaremos ao mundo
Que nunca existiu um bem
Que sendo um,
Fingirmos dois
Vibraremos
Em mármores de amor
Tudo por que
Há de haver entre nós
Uma estranha presença
De nós dois







sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

VALSA




"Para o ignorante, a velhice é o inverno da vida;
para o sábio, é a época da colheita."

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

DIVINDADE DA ÁGUA DOCE


Orixá do amor, da harmonia e da concórdia.
Equilíbrio emocional.
Senhora das águas doces, rios e cachoeiras.


No banhar dos rios
Em ouro um espelho refletia
um ar místico em forma
de mulher
Soberana
mãe das águas doces
com o traçar da força que
expande junto à natureza
Sua majestade chegando ao
lugar proposto
reluz brilho e
transforma o ambiente
em raios de sol
a espelhar-se na beleza e
perfeição deste orixá de luz
Oxum
herdeira de tronos e
bandeiras
cuja causa é dissipar
maus fluídos
Harmonizando e
banhando com suas águas
as impurezas do mundo




Reino: Cachoeira.

Cor: azul royal. Elemento: água.

Dia da semana de maior vibração: segunda-feira.

Planeta: Lua

Características dos seus filhos: Docilidade, sensibilidade (choram com facilidade), místicos.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

MENTES TÃO BEM

DESPERTEI

Despertei,
Do meu monólogo tão silencioso.
Abandono à carga irônica
Da palavra impertinente
Esbanjada pela boca.
Despertei sem desespero,
Medo ou cobiça.
Sai do aquém e fui
Para o metafísico
Em liberada aceitação plena
Em toques mágicos
De interiorização.
Burilando rotinas
No dia a dia constante
Nesse empenho de crescer.
Navegar desertos de extintos desejos,
Dar formas as coisas apenas pressentidas.
Despertei...
Como a ave no seu primeiro vôo
Vislumbrando a estranha sensação
Na dimensão que advinha falha
Ante ao pouco revelado

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

"PROMESSAS DE AMOR"

VERTENDO D’ALMA




Olhos nos olhos
Fitamos um caminho
Percorro teu corpo
Sua estrada infinita
Chegamos, ao delírio certo
Deste encanto mágico
Corpos ardem
Vibram
Nossos lábios tremulam
Palavras desordenadas
Regadas do amor
Vertendo d’alma
São caminhos percorridos
Estado único sentido
Sou eu em teu corpo
Entrelaçada em carinho
Teus braços me afagam
Em suspiros deliramos
Somos encaixe feito jogo
Dos caminhos percorridos
Dois corpos unidos
Exalamos o êxtase profundo
Deste amor dividido
Vertendo d’alma
Murmúrios do mundo


quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

CONJECTURANDO


Quando olhamos o céu em noite calma e límpida
Sentimos que a nossa inteligência é franzina
Para conceber a Obra maravilhosa do Criador
Diante dos nossos olhos pasmados
As estrelas são caravanas luminosas
A desfilar pelo deserto
Insondável do infinito
Os planetas rolam
Segundas leis eternas
Pelos abismos do espaço!
Uma noção, surge logo bem nítida em nosso espírito:
A noção da Eternidade.
Romper elos desta nossa não é premissa.
Para colocá-la em segundo plano: Faz parte dela.
São áureas e é a própria alma
Num plano muito além
Incolor e transparente
Todas as coisas que não se alteram
São belas por si só
E se bastam
Transcendendo a isso,
Deixei toda colocromia da natureza me possuir
Mas, não te digo simplesmente.
O que te digo,
Pelo fato de querer te dizer
Porque desta forma
desvinculo a noção
De cor e beleza

sábado, 27 de novembro de 2010

O POETA É


Essência sublime
No ápice do mundo
Emoções afloradas
Sentimentos sentidos
Ouvidos
Murmurados

Sofre por amor
Procura
Encontra
Se perde
Enlouquece

Metamorfose...

Rompe seu casulo
Sai em pleno voo
Borboleta colorida
Viajante de sonhos
Repousa na poesia

O poeta é.
Inspiração
Angústia
Solidão
Liberdade
Conflito
Soltando seu grito
Na imensidão
Do seu coração

Eletricidade provoca leucemia (Informação Importante)

O assinto em foco, é a luta de moradores que estão se mobilizando, contra os postes de alta tensão. Nas ruas e proximidades de onde residem.Fica alguns alertas para quem desconhece o assunto das várias doenças que causam levando a morte.
Estes textos foram permitidos pelo autor, que apresenta em seu blog.http://pauloroneyavilafagundez.zip.net/
Interessante de ler e acompanhar a luta travada contra empresas que em Santa Catarina chama-se CELESC,indo muito além...

O EXEMPLO QUE VEM DE PORTUGAL

Serzedelo recebe movimento contra Linhas de Alta Tensão
Dezenas de pessoas que integram o Movimento Nacional Contra as Linhas de Alta Tensão em Zonas Habitadas vão manifestar-se durante a tarde.

O movimento escolheu Serzedelo como sede da primeira reunião devido à "forma anormal como convivem moradores e cabos de alta tensão" naquela localidade.

"Serzedelo é um exemplo paradigmático da realidade portuguesa", sublinhou Helena Carmo, membro do movimento oficialmente legalizado em 27 de Maio.

Segundo o levantamento realizado por moradores, foram registados em Serzedelo 76 novos casos de cancro nos últimos dez anos.

A delegação de saúde pública de Guimarães está já a fazer um estudo epidemiológico, que deverá ficar concluído em Julho, no sentido de analisar se existe uma relação entre as radiações das dezenas de cabos de alta tensão e vários problemas de saúde que afligem a população.

Neste primeiro encontro nacional deverão ser aprovados os estatutos do movimento recentemente legalizado e eleitos os seus corpos sociais.

No entanto, não são apenas as questões administrativas e organizacionais que estarão em foco durante a reunião marcada para esta tarde em Serzedelo.

O movimento vai estudar e decidir formas de protesto contra a instalação de Linhas de Alta e Muito Alta Tensão em zonas habitadas.

O movimento é integrado por moradores de Almada, Amadora, Batalha, Guimarães, Odivelas, Panefiel, Seixal, Silves e Sintra.
http://ww1.rtp.pt/noticias/?article=62999&visual=3&layout=10

Escrito por Paulo Roney Ávila Fagúndez


Eletricidade provoca leucemia

Uma pesquisa sueca revela que a energia dos fios de alta tensão leva à leucemia infantil: quanto mais perto das linhas, maior é o risco da doença.
Uma pesquisa sueca realizada em 500 000 residências a menos de 300 metros de linhas de alta tensão forneceu os mais precisos dados sobre a ação da eletricidade no organismo. A conclusão é que a energia dos fios leva à leucemia infantil: quanto mais perto das linhas, maior o risco da doença. Melhor dizendo, o risco está ligado à intensidade da força eletromagnética emitida pelos fios elétricos. Por exemplo: as máquinas de café domésticas contêm bobinas que agem como ímãs fracos - com intensidade de 1 miligauss . O que a pesquisa sueca mostrou foi a seguinte correlação: quando a intensidade passa de 1 para 2 miligauss, o risco de leucemia triplica; quando passa para 3 miligauss, o risco quadruplica, assinalam os autores da pesquisa. E difícil imaginar que o aumento do número de casos tenha um outro motivo que não seja a eletricidade. Embora muitos outros estudos, nos últimos dez anos, tenham apontado laços suspeitos entre eletricidade e leucemia, ainda não foi estabelecida a relação de causa e efeito entre uma coisa e outra.

http://super.abril.com.br/superarquivo/1993/conteudo_113439.shtml

Escrito por Paulo Roney Ávila Fagúndez

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Pitty e Zé Ramalho - Nave Interior

RESGATANDO-ME


Resgatando-me
Busco o incerto, o certo
Ocasiões de plena reflexão
Surge um poço repleto de sonhos
Feito cartola de mágico
Retiro fantasias
Ilusionismo diante dos olhos
Resgatando idéias
Misturadas ao rodo do cotidiano
Estou precisando e muito...
Daqueles períodos mais soltos...
Leves talvez...
Sinto-me tão pesada
É a mente, bem sei ...
Que chora calada
De ausências
Miudezas que guardo
Nestes resgates de emoções
Transborda feito calda de chocolate
Lambuzando-me
Num passado que não volta mais
Resgato imagens
Versos, quem sabe ...
Mãos entrelaçadas
No silêncio d'alma
Pessoa unica e capaz
Transformando a própria vida...
Ajustando botões
Apertando a cintura
soltando os quadris
Vestindo roupas adequadas
Para um sonho contemplado
Que chamo de Vida...
Do Agora e do Depois ...







sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Poema DA MENTE

Este poema diz muito sobre a atualidade: Poema DA MENTE

Affonso Romano de Sant`Anna

Há um presidente que mente,

Mente de corpo e alma, completa/mente.

E mente de maneira tão pungente

Que a gente acha que ele, mente sincera/mente,

Mais que mente, sobretudo, impune/mente...

Indecente/mente.

E mente tão nacional/mente,

Que acha que mentindo história afora,

Vai nos enganar eterna/mente.

sábado, 11 de setembro de 2010

O VALOR DE UMA MULHER

NÚCLEO D’ALMA

Núcleo d’alma invade meu ser, contendo à essência sublime do meu viver.
Nem os anos, nem o tempo romperá este núcleo de bagagens longínquas.
Atravessando tantos espaços disciplinando cada vinda... Ou partida...
Deste núcleo contém a natureza d’alma, beleza nata protegida pelo Além.
No centro das minhas atividades, vem às mensagens para ser distribuídas, divididas.
Entre tantos que tem a sede de aprender. Sou aprendiz de imensas vindas, no esquecimento de mim mesma.
No subconsciente volita sobre minha mente um Universo de total plenitude, onde o sol brilha com tanta intensidade, quanto à escuridão de remotos dias inunda e aflige evoluções primárias de um aprendizado sublime.
E neste núcleo da minha alma, que intensifico a comunicação continua para entender melhor o que cada qual em sua vinda merece ter ou perder.
Cujo processo de lapidação é igual o diamante.
Meu núcleo lapida e retira a cada dia um algoz da própria vida, para mais tarde enxergar seu brilho e reluzir aos que me cercam.
De cada núcleo conhecido, pouco sei do imenso e infinito universo contido em cada ser que convivo e conviverei.
São amostras de núcleos d’alma em suas dores, ilusões, enfim...
São exemplos que temos e não paramos para analisar o quanto em cada qual nos acrescenta ou nos faz rebaixar.

"Toda reflexão que leve o homem para fora do estreito círculo do seu egoísmo é saudável e boa para a alma, seja qual for o caminho pelo qual enverede essa reflexão. "

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Elba Ramalho e Geraldo Azevedo - Frisson

FLUTUANDO NO TEU OLHAR

Nos teus olhos
Sinto a profundidade d’alma
São neles que desejo o mesmo desejo
Deste que olha e me consola
Nas noites sem luar

Semi nua me sinto
Flutuando nos teus olhos
Navio navega em sentimentos
Deste marujo amante
Hipnotizando-me sutilmente

Na viagem do êxtase
Em delírios flutuantes
São teus olhos fixados aos meus
São os meus fixados aos teus
Seguimos um desejo do corpo
Na fala dos sentidos
Monitorando o desejo e sucumbindo
Meu libido

Estes olhos que flutuo
São os teus
Bem sei dos olhares trocados
Instantes únicos observados
Sem falar, simplesmente olhando
Desta forma que flutuo ,em teu olhar
Será mera coincidência?
Ou já flutuei
Em algum outro lugar...


sábado, 4 de setembro de 2010

Chuvas de Verao - Jose Augusto

PESADAS CORRENTES


Quando penetrares no amago d’alma
Triunfarás diante do esplendoroso mistério
Guardado secretamente

Silenciando...
Dores, Amores, Luzes, Apagões.
Pesadas correntes
Contornando o corpo
Miseráveis ilusões
Chaves prenderam-se
Nos segredos das paixões

Enferrujam
Sem óleo nas engrenagens
Algum amor em evolução
Vertendo das veias
Pulsa e arrebenta as mordaças
Resplandecendo em plena
Escuridão

Não prendeis teu amor
Nas presilhas da ignorância
Sente o sabor
Alegria
Das rosas vermelhas
Nos jardins a florir
Em pleno gozo da vida acolhida
No chão de pétalas caídas

Perfumando dois corpos
Exalados num bosque
Nos embalos da canção
Ensaiando a mais bela sinfonia

sábado, 21 de agosto de 2010

AMOR NOTURNO... OU NOTURNO AMOR...


Anoiteceu,
O crepúsculo dominava a noite em esplendores de amor.
Quantas palavras pronunciadas
De forma tão formal nas horas deste encontro
Onde a Lua refletia um momento às escondidas.
A pupila dilatava
Coração pulsando acelerado,
Lábios ressecados
Corpo encharcado do suor do meu prazer.
Amor noturno... Ou noturno amor...
Entre o céu e as estrelas
Está a Lua e nos projeta nas silhuetas do encanto.
Nossas sombras refletidas nas nuvens guiadas pelo vento,
Dissipando o acalento no conforto da Imensidão.
Sou gatuno das noites incendiárias,
Enlouqueço e te faço enlouquecido.
Jura faz as escondidas, escutamos um do outro...
Sempre serei só teu
Quanto será só minha
Nem mesmo com a despedida deixarei de vir.
Ao encontro deste
Amor noturno... Ou noturno amor...
Mesclados com pinceladas da realidade...
Com as minhas fantasias.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

“FELIZ ANO NOVO / 13/08/2010”


Hoje é um dia que comemoro o meu FELIZ ANO NOVO.
Um dia especial para agradecer, corrigir, seguir, perdoar e amar muito mais aos que me cercam.
Quantos momentos nestes meus 48 anos têm refletido como um grande aprendizado.
Desde o conhecimento da vida coletiva, resumida em detalhes ao encontro da experiência continua no trilhar espiritual.
O que vem a ser o dia do nascimento?
É libertação ou prisão?
É sossego ou angustia?
Simplesmente, uma nova caminhada pelo deserto da vida desmemoriado. Para encontrar um oásis de sabedoria.
Analisando a vida hoje, sei que sou feliz. Porque para mim os anos passam, para outros continuam nos 20 anos.
De cada experiência vivida, lhes garanto que tive a oportunidade de experimentar desde o amargo ao sabor da fruta doce.
Não me queixo de alguns momentos, agradeço com maior grau de entendimento, sabes o porquê ?
Para cada qual, é difícil entender o que o Pai Maior nos orienta e trilha um caminhar num esboço que já existiam.
Um caminhar com saídas, mesmo que sentindo tantas partidas meu mundo sempre estará erguido.
Somos nós que fazemos de cada ano novo, a restruturação, amadurecendo em forma de fruta doce num pomar de ilusões.
De cada ilusão vivida é na prática da própria vida, que ressurge um amanhã bem melhor.
Brindo um momento único de agradecimentos pelo que Deus me deu.
Beijos de Luz, espalhados no ar.

Nana Caymmi - Resposta ao Tempo

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

EMBOSCADA


TRADUZINDO TEU ENIGMA
EM LENÇOIS DE SEDA
EMBOSCADA DE OLHARES
AMORES
DESTA FORMA
INFORMA
O CAMINHO
QUE SIGO
TUDO NÃO PASSA DE UMA
EMBOSCADA DE PESAMENTOS
DORES
CALORES
FORTES EMOÇÕES
SEGUIREI ENTRE MARES
CORTANDO LINHAS
ARRISCANDO
EM CADA EMBOSCADA...
UM JEITO CERTO DE SER
A TUA AMADA

sábado, 7 de agosto de 2010

Mariana Aydar, Palavras não falam

DOIS, Tiê

ARRUMANDO AS GAVETAS...

Sentei-me em lugar de beleza infinita
De frente para o mar escutando o marulhar com as gaivotas a cantar.
Meu silêncio era profundo mergulhei em minhas gavetas
Tão íntimas, que naquele momento notei,
Que estava despindo-me das amarras que nas gavetas escondia.
Arrumei algumas, outra mal tocou o mundo interior.
Impedindo-me de abri-las, para não machucar-me.
Ou melhor, abrir feridas adormecidas.
As vivências de uma vida que vivi, entre tantas armadilhas.
O profundo despertar d’alma era preciso no momento de encontro
Da beleza infinita da criação da natureza, entre ela o meu Eu.
Sintonizando a essência depreendida do momento em que arrumava minhas gavetas
Transmutando um passado que ficou preso, entre pequenos fios.
Atados em minhas fibras, feito gavetas escondidas.
Perderem-se no tempo as chaves, outras se abrem pelo próprio despertar da Vida.


quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Além do Horizonte

NO INSTANTE DE CADA ADEUS


Ligaram-me a este mundo
Com fios de linhas coloridas
Teceram em seda
Bordadas no livro da vida
Esperava o voo certo
Deslumbrando a liberdade
Para novos horizontes
Trazendo no esquecimento
O que hoje não recordo
Esforço-me a encontra-lo
Já esbarrei
Empurrei
Identifiquei
Sem notar o sentido
Do momento vivido
No instante de cada adeus

terça-feira, 20 de julho de 2010

Rita Lee - Amor e Sexo

AMORES SOTERRADOS


Tempestades de ilusões
Emoções vividas
Escondidas em um porão

Porão de sentimentos
Revirados
Soterrados
Amores que se foram
Jamais voltarão

Avalanches
Turbilhões
Amores soterrados
Desilusões

Sobrevivo das lembranças
Saudade sufocada
Lágrima cai não cai
Suspirando

Amores soterrados
Sem terra
Num túmulo de paixões

sábado, 17 de julho de 2010

Misia - Garras dos Sentidos

GARRAS DOS SENTIMENTOS

Nas garras dos sentimentos

Meu corpo agarra-se

Leva-me a loucura

Gavião das alturas

Deste amor desvairado


Esta águia segue a risca

Sobe alto na conquista

Voo certo pro teu ninho

Quando unidas

Voam juntos

E amor lado a lado


Tuas garras e as minhas

Seguram firmes

São nas garras dos sentimentos

Onde alçamos nossos voos

Penhascos em declínio

Minhas asas te abrigam

Sem teu amor

Gavião


Esta águia

Morre aos poucos

Voa em desatino

Em plena solidão.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Misia - Ese Momento

SÓTÃO ( REEDITANDO)

Quando criança existia em meus pensamentos
Um mistério que vinha de um sótão.
Ele ficava na casa da minha avó paterna.
A porta da entrada era curiosa,
Tinha tramela e era cor de rosa.

Suas escadas estreitas e escuras.
A luz era acesa para chegar-se ao
Outro lance das escadas.
Ao chegar ao sótão que era grande,
Abria a janela para ver o que ali escondiam.
Menina curiosa que era, ficava olhando
Em volta daquele enorme quarto, muito bem
Arrumado, encerado.

Lá eram guardados, livros, chapéu, parte do vestuário,
Tinha cama, baú, cadeira, brincadeira.
Na minha imaginação não entendia o porquê ali
Era escondido e secreto.
Com o tempo descobri, que a maioria
Das casas da época abrigava um sótão.

Os arquitetos descobriram que no sótão,
Chegamos mais perto das estrelas,
Olhamos a lua refletida na janela.
Amaria alguém em plena primavera.
Faria dele um aconchego sem medo,
Misturando luares,
Amores, desejos e segredos.





domingo, 11 de julho de 2010

EXPRESSO DA MENTE

Sempre além
Chego ao horizonte
Campos, bosques
Atravesso mares
rompendo o som
Dissipando a luz
Adentrando na imensidão
Viajo na constelação
Sorrisos soltos
Cantoria sublime
Concentração
Intuição
Um mundo sem enganos
Suspenso
Mãos acolhedoras
Esperam na esfera cristalina
Dos valores
Sem dores
Acolhimento de almas
Sintonizados em plena harmonia
Sem pensar ou lembrar
Do dia a dia.
Expresso da mente
Adormecendo
Limpeza da áurea
Purificando a vida
Conquista perfeita
Corrigindo, agindo, prosperando
No preparo para próxima.
Vinda
Que beleza
Assim seja.

terça-feira, 6 de julho de 2010

Ave Maria Natureza - Paula Fernandes

"O animal selvagem e cruel não é aquele que está atrás das grades. É o que está na frente delas."

enquanto o lamento dos animais sedentos nos vagões de carga
não sejam emudecidos,
enquanto prevalecer tanta brutalidade em nosso matadouros...
todos seremos culpados.
Tudo o que tem vida, tem valor como um ser vivo,
como uma manifestação do mistério da vida."

"Não podemos ver a beleza essencial de um animal enjaulado,

apenas a sombra de sua beleza perdida. "






"Jamais creia que os animais sofrem menos do que os humanos.

A dor é a mesma para eles e para nós
Talvez pior, pois eles não podem ajudar a si mesmos.
(Dr. Louis J. Camuti






"Por que é que o sofrimento dos animais me comove tanto?
Porque fazem parte da mesma comunidade a que pertenço;
da mesma forma que meus próprios semelhantes.
(Émile Zola)