Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

APARAR AS ARESTAS


Vou aparar as arestas da vida.
Como fazem os jardineiros embelezando os jardins,
podando árvores, retirando ervas daninhas.
Transformando o lindo jardim em floresta.
Aparar as arestas sem modéstia.
Depois de aparadas e cortadas, darei uma festa.
Presentearei a vida, com brindes de bebidas fortes e
escolherei uma noite de luar e que seja de gala.
Convidarei as pessoas que sabem brindar a vida,
que vivem com as divergências sem importar-se com a lida.
Jogarei rosas perfumadas do alto, cairão como chuva, para um
Espetáculo a altura.
Decorarei com velas perfumadas e coloridas, enfeitando cada mesa servida.
Discursarei e será breve.
Comentarei apenas o seguinte:
De vez enquanto, aparem as arestas da vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário