Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou a simplicidade casada com a verdadeira essência de um ser. Venho de uma família onde todos trazem e trouxeram em suas bagagens um código espiritual único e capaz de transformar palavras em frases complexas e simples, que ampliam horizontes e rompem barreiras. Sou filha do vento, da água, da terra e do fogo. Tenho minhas fases e mudo conforme a Lua. Sou a busca do exato, na medida disforme das coisas que vejo, e minha mente transcreve. Hoje criando este blog, mostrarei o que em gavetas escondia. Beleza, sinceridade, sede de transcrever o que minha alma sente ao se deparar com uma folha e um lápis, pois é desta forma que escrevo. Na simplicidade de um canto qualquer, mas com essência pura dos sensíveis.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

A LUTA PELA LEMBRANÇA

Meus pensamentos se foram afastando de mim,
porém chegado a uma senda acolhedora dos
tumultuosos pesares presentes e me detenho,
de olhos fechados, enevador, num aroma de
distancia que eu mesma fui conservando em
minha pequena luta contra a vida.
Somente vivi ontem.O agora tem a desnudez
à espera do que deseja, pelo provisório
que vai envelhecendo sem amor.
Ontem foi uma árvore de longas romarias,
e à sombra estou deitada recordando.
Subitamente, contemplo,surpresa, longas caravanas
de caminhantes que, chegados como eu a esta senda,
com os olhos adormecidos na lembrança,
cantam canções para si mesmo e recordam.
E algo me diz que mudaram
para se deterem que falaram para se calarem,
que abriram os olhos atônitos ante a festa das estrelas
para os fecharem e recordar.
Deitada neste novo caminho com os ávidos olhos
enflorados de distância, cuido em vão de deter
o rio do tempo que tremula sobre minhas atitudes.
Mas a água que logro recolher
fica aprisionadas nos ocultos reservatórios
do meu coração, em que amanhã terão de submergir
minhas cansadas mãos solitárias.


Nenhum comentário:

Postar um comentário